Número total de visualizações de página

segunda-feira, 19 de julho de 2010

Quinta do Portal e Liberalia Enológica trabalham na produção de vinho ibérico





A Quinta do Portal e a Liberalia Enológica, produtoras de vinho sediadas em terras do Douro dos dois lados da fronteira, pretendem reforçar a parceria estabelecida em 2005 com a criação de um novo néctar produzido através de quatro castas oriundas dos dois lados da fronteira.

Esta parceria estratégica já ofereceu ao mercado o vinho Duradero, produzido com a mesma variedade de uvas, mas que detém nomes distintos: Tinta Roriz e Tinta de Toro. Um exemplo cabal de boa relação transfronteiriça, que se baseia num legado histórico comum, sendo o Douro uma fonte de elaboração de produtos vinícolas de excelência, e que apresenta excelentes resultados casando as suas diversas origens. Nota disso mesmo foram as excelentes pontuações alcançadas por este vinho na imprensa especializada, não só dos dois países, mas de todo o mundo.

O Duradero, um vinho que apresenta uma intensa cor violeta e aromas de fruto preto, bastante equilibrado, com taninos pujantes, excelente fruta na boca e enriquecido com notas de tosta, já brindou às suas origens ibéricas ao mais alto nível. Na Cimeira Ibérica que teve lugar em Janeiro de 2009, em Zamora, terra onde está sedida a Liberalia Enológica, os chefes de Governo de Portugal e Espanha selaram com Duradero os acordos alcançados nesse encontro.

No passado mês de Julho, responsáveis das duas adegas encontraram-se na zona onde nasce o imenso Douro, nos picos de Urbión, a uma altitude de 2 140 metros, para maturar o projecto. Num acto simbólico, os enólogos Paulo Coutinho e Silvia Garzia irmanaram os dois vinhos utilizados no blend Duradero, na presença do director da Estação Enológica de Castilla Y Leon.

A Quinta do Portal aposta no conceito de «boutique winery», produzindo vinhos DOC Douro, Porto, Moscatel e espumantes enquanto a Liberalia Enológica é uma casa familiar que produz a partir de vinhedos com idades entre os 30 e os 100 anos.