Número total de visualizações de página

segunda-feira, 15 de novembro de 2010

A cidade vai à feira na «II Projecto Casa» para ver como remodelar ou reabilitar o parque edificado





A «II Projecto Casa - Evento de Arquitectura e Design» marca a diferença para as suas congéneres nesta área pelas iniciativas distintivas que leva a cabo. A edição deste ano, que arranca a 25 de Novembro e prolonga-se até dia 28, no recinto da Exponor, tem como lema levar a cidade à feira. Tendo como temas centrais as últimas tendências nas áreas da reabilitação urbana, desing e arquitectura, este ano a feira vai ter, também, uma forte componente ambiental, que tem como metas a sustentabilidade ecológica, promover novas formas de transporte e o regresso das pessoas aos centros das grandes urbes.

Neste sentido, estão preparadas uma série de iniciativas peculiares, que associam a reabilitação urbana à sustentabilidade. Desde logo, quem se deslocar de bicicleta até ao recinto da Exponor, em Leça da Palmeira, será premiado com uma entrada gratuita, «poupando» cinco euros. A preferência por este meio de transporte alternativo será incentivada, ainda, com a instalação de uma ciclovia no espaço da mostra, tendo a organização vinte bicicletas ao dispor dos visitantes. Isto numa «feira verde», onde não serão colocadas as habituais alcatifas, o que pode significar uma poupança até 10 toneladas de resíduos.

Ainda dentro do mesmo conceito, numa parceria com a Ordem dos Arquitectos NORTE 41/ CO2=0) e o Parque Biológico de Gaia, será calculada a quantidade de árvores (espécies endógenas) necessárias para anular a emissão de CO2=0, produzido pelo Projecto Casa. No final, estas árvores serão plantadas, convidando-se os visitantes a participar nesta acção, comprando uma árvore ou ajudando na sua plantação.

O pulsar da cidade na Exponor

Para que se viva um ambiente em tudo similar ao que se encontra nos centros das cidades, o Mercado Porto Belo, que se realiza habitualmente aos sábados de manhã, na Praça Carlos Alberto, terá lugar na Projecto Casa, com uma feira retro com mobiliário, vestuário e artigos diversos. “O principal objectivo desta mostra é o de se afirmar como um evento distinto, impar, que aposta na qualidade e excelência”, refere Carla Maia, responsável pela organização da feira, acrescentando que “os promotores serão incentivados a apresentarem as suas propostas, relacionando-as com as novas tendências do design e da arquitectura, com produtos arrojados, quebrando conceitos tradicionais de espaços”.

A reabilitação urbana é um tema transversal a toda a feira e uma oportunidade para reflectir sobre esta temática, com a projecção de obras requalificadas de inegável mérito, ou com a realização de conferências com autoridades nesta matéria, onde a requalificação dos edifícios e o regresso por parte das pessoas ao centro da cidade do Porto estará em realce.
Igual enfoque será colocado nas propostas para a remodelação interior das habitações. Estarão presentes dezenas de designers, das mais diversas áreas, numa óptica de promoção dos seus serviços, numa iniciativa da Associação Portuguesa de Designers. Um grupo de finalistas do Instituto Politécnico de Viana criará, ainda, uma área lounge colocando em evidência o conceito retro/vintage. Uma outra exposição sobre o mesmo tema estará também na Projecto Casa, esta da responsabilidade do curso de DESIGN da ESEIG - Escola Superior de Estudos Industriais e de Gestão, do Instituto Politécnico do Porto.
Numa iniciativa denominada LAB Habitat marcará presença uma mostra de espaços interiores experimentais representativos de novos conceitos e novas formas de habitar, uma actividade desenvolvida pela ESART – Curso de Design de Interiores e Equipamento.