Número total de visualizações de página

terça-feira, 14 de junho de 2011

Quinta do Portal e Liberalia Enológica assinalam parceria com novo vinho ibérico




Vinho que selou Cimeira Ibérica de 2009 está a celebrar cinco anos de existência

Duradero Tinto 2009 provém das castas Tinta Roriz e Tinta Toro

A Quinta do Portal e a Liberalia Enológica, produtoras de vinho sediadas em terras do Douro dos dois lados da fronteira, estão a celebrar os cinco anos de parceria com o lançamento de um novo vinho Duradero, o «Duradero Tinto 2009».
Desde 2005 que as duas adegas trabalham conjuntamente, tendo colocado no mercado o vinho Duradero, produzido com a mesma variedade de uvas, mas que detém nomes distintos: Tinta Roriz e Tinta de Toro. Um exemplo cabal de boa relação transfronteiriça, que se baseia num legado histórico comum, sendo o Douro uma fonte de elaboração de produtos vinícolas de excelência, e que apresenta excelentes resultados casando as suas diversas origens. Nota disso mesmo foram as excelentes pontuações alcançadas por este vinho na imprensa especializada, não só dos dois países, mas de todo o mundo.
O Duradero, um vinho que apresenta uma intensa cor violeta e aromas de fruto preto, bastante equilibrado, com taninos pujantes, excelente fruta na boca e enriquecido com notas de tosta, já brindou às suas origens ibéricas ao mais alto nível. Na Cimeira Ibérica que teve lugar em Janeiro de 2009, em Zamora, terra onde está sedida a Liberalia Enológica, os chefes de Governo de Portugal e Espanha selaram com Duradero os acordos alcançados nesse encontro.
Em 2010, o acto que celebrou a irmandade dos vinhos decorreu nos picos de Urbian, em Soria, e este ano representantes das duas vinícolas vão encontrar-se do lado de cá da fronteira para imortalizar o convénio.
A Quinta do Portal aposta no conceito de «boutique winery», produzindo vinhos DOC Douro, Porto, Moscatel e espumantes enquanto a Liberalia Enológica é uma casa familiar que produz a partir de vinhedos com idades entre os 30 e os 100 anos.

Holiday Inn Porto Gaia convida a assistir, do seu 22º piso, ao fogo-de-artifício de S. João!



Com o Douro engalanado para receber o majestoso fogo-de-artifício de S. João, o Hotel Holiday Inn Porto Gaia criou um buffet de petiscos regionais dedicado a toda a família na noite de 23 de Junho para celebrar o santo padroeiro da cidade do Porto.
Do alto do 22º piso desta unidade hoteleira, situada a escassos metros da zona ribeirinha, vai poder assistir com uma vista privilegiada ao espectáculo que chama milhares de portuenses para as ruas e ainda deliciar-se com um buffet criado especialmente para esta data, por apenas 39 euros por pessoa, com bebidas incluídas, sendo que as crianças com menos de 12 anos não pagam.
Da ementa fazem parte variadas entradas tipicamente regionais, como o chouriço de carne assado, feijão-frade com atum, morcela assada, azeitonas marinadas, pataniscas de bacalhau ou rolinhos de abacaxi com presunto. Depois do indispensável caldo verde, o prato de peixe é constituído por um gratinado de bacalhau três pimentos e o de carne por uma deliciosa vitela assada com aromas de alecrim e arroz de forno. O buffet de sobremesas é uma autêntica perdição, desde a tarte merengada de limão, a um fondue de chocolate e fruta laminada, passando pelos tradicionais arroz doce e leite creme.

terça-feira, 7 de junho de 2011

Prestigiados concursos internacionais premeiam, com ouro, prata e bronze, os vinhos durienses «Grandes Quintas»!




O vinho Grandes Quintas Reserva 2008, do produtor duriense «Casa d’Arrochella», conquistou recentemente uma Medalha de Ouro no Concurso Mundial de Vinhos Bruxelas 2011, um dos eventos internacionais mais prestigiado. No próximo ano, o concurso realizar-se-á na cidade-berço, que em 2012 é Capital Europeia da Cultura, sendo a Sociedade Agrícola Casa d’Arrochella parceira oficial deste evento.
Sendo o projecto vitivinícola «Casa d’Arrochella» muito recente, tem sido com grande satisfação que o seu impulsionador, o empresário e advogado Bernardo Alegria, assim como Luís Soares Duarte, o enólogo responsável, tem visto o seu trabalho ser reconhecido, com rasgados elogios, pela comunidade enófila.
O Grandes Quintas Reserva 2008 é um vinho de cor vermelha retinta, aroma intenso e muito amplo, evidenciando notas de bosque, especiarias e florais resinosos, tudo bem harmonizado. Os taninos são majestosos, elegantes e complexos, revelando também equilibrada acidez. Foram engarrafadas 9 500 garrafas.
Este vinho já tinha merecido distinções em outros encontros internacionais de relevo, como a Medalha de Prata no Challange International du Vin, ou as Medalhas de Bronze no International Wine Challange e no Decanter World Wine Awards, troféu que também foi atribuído ao Grandes Quintas Colheita 2008.
Já em 2010 os vinhos da Casa d’Arrochella tiveram grande aceitação nestes concursos vinícolas internacionais, destacando-se o Troféu Excellence arrecadado pelo Grandes Quintas Colheita 2007, no Les Citadelles du Vin 2010. No mercado há apenas 15 meses, os vinhos Grandes Quintas já totalizaram 11 medalhas internacionais, o que atesta a qualidade do produto.
Com cerca de 600 hectares, 115 dos quais de vinha, distribuídos por cinco quintas – Quinta do Cerval, Quinta do Nabo, Quinta das Trigueira, Quinta de Vale d´Arcos e Quinta da Peça –, a Casa d’Arrochella integra-se numa nova geração de produtores de vinho da Região Demarcada do Douro. É na sub-região do Douro Superior, entre Vila Flor, Moncorvo e Vila Nova de Foz Côa que o projecto é desenvolvido com a paixão e o envolvimento cultural de quem tem uma ligação secular ao Douro. A sua adega, totalmente equipada segundo os mais rigorosos critérios em vigor, tem capacidade para a produção de cerca de 300 000 litros, com dois lagares de granito e cubas de fermentação em inox.