Número total de visualizações de página

terça-feira, 7 de junho de 2011

Prestigiados concursos internacionais premeiam, com ouro, prata e bronze, os vinhos durienses «Grandes Quintas»!




O vinho Grandes Quintas Reserva 2008, do produtor duriense «Casa d’Arrochella», conquistou recentemente uma Medalha de Ouro no Concurso Mundial de Vinhos Bruxelas 2011, um dos eventos internacionais mais prestigiado. No próximo ano, o concurso realizar-se-á na cidade-berço, que em 2012 é Capital Europeia da Cultura, sendo a Sociedade Agrícola Casa d’Arrochella parceira oficial deste evento.
Sendo o projecto vitivinícola «Casa d’Arrochella» muito recente, tem sido com grande satisfação que o seu impulsionador, o empresário e advogado Bernardo Alegria, assim como Luís Soares Duarte, o enólogo responsável, tem visto o seu trabalho ser reconhecido, com rasgados elogios, pela comunidade enófila.
O Grandes Quintas Reserva 2008 é um vinho de cor vermelha retinta, aroma intenso e muito amplo, evidenciando notas de bosque, especiarias e florais resinosos, tudo bem harmonizado. Os taninos são majestosos, elegantes e complexos, revelando também equilibrada acidez. Foram engarrafadas 9 500 garrafas.
Este vinho já tinha merecido distinções em outros encontros internacionais de relevo, como a Medalha de Prata no Challange International du Vin, ou as Medalhas de Bronze no International Wine Challange e no Decanter World Wine Awards, troféu que também foi atribuído ao Grandes Quintas Colheita 2008.
Já em 2010 os vinhos da Casa d’Arrochella tiveram grande aceitação nestes concursos vinícolas internacionais, destacando-se o Troféu Excellence arrecadado pelo Grandes Quintas Colheita 2007, no Les Citadelles du Vin 2010. No mercado há apenas 15 meses, os vinhos Grandes Quintas já totalizaram 11 medalhas internacionais, o que atesta a qualidade do produto.
Com cerca de 600 hectares, 115 dos quais de vinha, distribuídos por cinco quintas – Quinta do Cerval, Quinta do Nabo, Quinta das Trigueira, Quinta de Vale d´Arcos e Quinta da Peça –, a Casa d’Arrochella integra-se numa nova geração de produtores de vinho da Região Demarcada do Douro. É na sub-região do Douro Superior, entre Vila Flor, Moncorvo e Vila Nova de Foz Côa que o projecto é desenvolvido com a paixão e o envolvimento cultural de quem tem uma ligação secular ao Douro. A sua adega, totalmente equipada segundo os mais rigorosos critérios em vigor, tem capacidade para a produção de cerca de 300 000 litros, com dois lagares de granito e cubas de fermentação em inox.