Número total de visualizações de página

segunda-feira, 15 de dezembro de 2014


Primeira loja portuguesa abriu em Setembro no Porto, em Miguel Bombarda, e já foi candidata aos «óscares» do retalho nos Mapic Awads!

TANYA HEATH Paris: surpreender com os sapatos
que ora são sabrinas, ora são scarpin ou stiletto

O presente de última hora ou aquele para quem tem um gosto mais requintado e é difícil de satisfazer pode estar ali, em plena rua das artes da cidade do Porto, na loja de sapatos para senhora TANYA HEATH Paris.
Este arrojado e inovador projecto da designer franco-canadiana é muito recente e está na Rua de Miguel Bombarda apenas desde Setembro, exibindo a originalidade de uns sapatos cujos tacões/saltos podem ser trocados ao longo do dia, com diferentes alturas e estilos, cores e padrões. Com um só par de sapatos, é possível calçar a condizer para as mais variadas situações do quotidiano, porque eles podem servir de sabrinas, scarpin, ou stiletto, sem nunca perder elegância, conforto e qualidade.
Constituindo várias surpresas num único par, os sapatos TANYA HEATH Paris, com lojas em vários países, chegaram a Portugal pela mão do casal de empresários Paula Andrade e Henrique Leite, que acreditaram na marca e decidiram apostar em levá-la à mulher moderna e sofisticada dos países lusófonos.
O primeiro sapato multifacetado que chegou ao mercado foi especialmente concebido a pensar nas necessidades da mulher cosmopolita, mãe, trabalhadora, mulher de negócios, que tem de estar preparada para as diferentes vertentes da sua vida, sem deixar o look sofisticado de parte. E que gosta de ser surpreendida com um presente personalizado no… sapatinho.
Dotadas de grande versatilidade e funcionalidade, as criações de Tanya Heath têm como grande vantagem a facilidade de adaptação com apenas um clic. O conforto é assegurado com recurso a materiais como espuma amortecedora e couro macio. Tudo sem descurar a vertente fashion, o toque de classe que faz a diferença.
Outra originalidade desta criação é o facto de cada par de sapatos ter um nome feminino, enquanto cada par de saltos tem um nome masculino em homenagem aos 14 engenheiros e vários artesãos que, durante três anos, participaram na sua concepção, elevando a um patamar superior a conjugação de tecnologia com inovação.
A invenção levou mesmo Tanya Heath a ser seleccionada pelos investidores do show televisivo canadiano “Dragons' Den” da CBC (semelhante ao “Shark Tank” da ABC), devido à originalidade e potencial da sua criação. Recentemente, a loja do Porto foi nomeada juntamente com a casa-mãe, em Paris, para a final dos Mapic Awards, uma prestigiada competição internacional que funciona como os «óscares» no sector do imobiliário de retalho.

Já imaginou a surpresa de encontrar um original par de sapatos “dentro” do sapatinho?

Gestor português de nível mundial
recebe prémio de empreendedorismo

- galardão entregue no congresso internacional VCIT

A capacidade empreendedora do gestor Pedro Ribeiro, que lidera actualmente a construção de dois mega-centros comerciais no Médio Oriente e um orçamento global de dois biliões de dólares, foi distinguida durante o Venture Capital IT 2014 - 14º Congresso Internacional de Empreendedorismo e Capital de Risco, que terminou hoje, em Lisboa.
«É, obviamente, motivo de orgulho ser alvo deste reconhecimento tão cedo na minha carreira, mas é também uma enorme responsabilidade e mesmo um desafio que, felizmente, me ajudará a esforçar-me ainda mais para me superar e não defraudar as expectativas que um prémio como este vem também criar», afirmou Pedro Ribeiro ao receber o galardão.
O gestor português, de 38 anos, tem vindo a sobressair mundialmente na concepção de grandes empreendimentos comerciais e o sucesso alcançado levou já a que recebesse convites das empresas líderes de mercado nessa área de gestão. Desde que chegou ao Médio Oriente abraçou dois projectos de grande envergadura. Um deles, já baptizado como “Mall of Qatar”, vai ser o maior centro comercial do emirado e tem inauguração prevista para 2015. Tem mais de 400 lojas em três pisos, numa área de 400 000 metros quadrados que inclui uma estação de metro integrada e uma área de estacionamento para 7 000 veículos. Espalhado numa área equivalente a 50 estádios de futebol, este centro comercial terá também um hotel de luxo, uma rua exclusiva de lojas de marcas de referência em duplo piso, cinco 'department stores', ruas temáticas, um 'souk' (mercado ao ar livre) árabe, um mercado de três andares, cinemas e 20 restaurantes internacionais localizados num quarto piso onde o tecto se abre, proporcionando vistas panorâmicas ao ar livre sobre toda a zona envolvente. O “Mall of Qatar” terá ainda uma ampla zona de diversão e uma cascata de água envolta por um oásis no meio do centro comercial.
Na sequência do êxito deste projecto, Pedro Ribeiro foi chamado a abraçar um segundo empreendimento no país. Trata-se do “Doha Outlet Mall”, tido como um “Super Regional Shopping Center” e idealizado para ser o grande destino comercial da região, constituindo a estreia do Qatar na construção de centros comerciais outlet. O projecto é do grupo Edara Holding e Pedro Ribeiro é o director-geral para os centros comerciais deste grupo, detido por uma das famílias mais tradicionais do Qatar.

Desde muito cedo que Pedro Ribeiro assumiu cargos com grandes responsabilidades, nomeadamente a nível da gestão e supervisão de lojas de insígnias internacionais, como a Levi Strauss e outras. Esteve, igualmente, envolvido na gestão do Outlet de Vila do Conde, a partir do que passou a focar-se mais na área dos centros comerciais. Passou também pela gestão do Grupo E. Leclerc e foi director-geral do Fórum Viseu. «Os centros comerciais constituem uma área de especialização que requer muito conhecimento do sector, conhecimento de mercado, história e actualidade, e ter credibilidade junto das principais marcas», explica o gestor.
É, assim, uma já assinalável carreira que justifica o prémio agora atribuído no Venture Capital IT 2014 - 14º Congresso Internacional de Empreendedorismo e Capital de Risco. Promovido pela Gesventure em colaboração com a APCRI- Associação Portuguesa de Capital de Risco e Desenvolvimento, este é um evento de referência nacional na área do Capital de Risco, Business Angels, empreendedorismo e inovação.
A iniciativa homenageia anualmente os empreendedores e as empresas que mais se distinguiram no desenvolvimento das suas actividades, através da atribuição de prémios nas categorias de Empreendedor, IntraPreneur e Autarca do Ano, Internacionalização e Inovação.
O congresso tem por missão promover a capacidade de empreendedorismo e, além de distinguir alguns ‘case studies’ individuais e corporativos cujo êxito constitui exemplo e estímulo para novos projectos, visa também aproximar quem conjuga ideias e potencial de quem tem capacidade e vontade de investir. Para estimular o arranque de projectos económicos com viabilidade de sucesso, reúne diversos especialistas nacionais e internacionais com foco no capital de risco, ‘business angels’, empreendedorismo e inovação.
«Queremos dar palco internacional à excelência, ao conhecimento e à partilha no ecossistema empreendedor português», explica Francisco Banha, CEO da Gesventure, sublinhando que «é tão importante reconhecer o mérito a empreendedores como Pedro Ribeiro como abrir caminho a quem mostre poder vir a seguir-lhe os passos».

Nesse sentido, durante o evento, é dada a oportunidade a vários empreendedores para exporem os seus projectos ao público, em apresentações de 10 minutos. Paralelamente, o Venture Capital IT contempla sessões em ambiente privado com sociedades de Capital de Risco e com Business Angels, nas quais os empreendedores e projectos previamente seleccionados pela Gesventure têm oportunidade de apresentar em exclusivo as linhas mestras do seu ‘business plan’ e tentar cativar o investidor para uma reunião subsequente.

quarta-feira, 10 de dezembro de 2014

Na «Casa das Pipas» os sabores e a paisagem deslumbrante
do Douro vão dar as boas-vindas a 2015

Ano novo, passagem-de-ano condizente com a vontade de renovar a esperança e de que 2015 seja um ano cheio de realizações. A Casa das Pipas, unidade de enoturismo da Quinta do Portal, criou dois programas especiais para esta data, que conjugam os sabores tradicionais do Douro com os vinhos de excelência deste produtor duriense multipremiado. Tudo numa charmosa unidade turística harmoniosamente enquadrada no deslumbrante cenário do Douro, Património Mundial da Humanidade.
O chef Milton Ferreira preparou um menu sofisticado que vai ao encontro do gosto mais refinado de quem gosta dos bons sabores da mesa. A sugestão começa com os tradicionais pastelinhos de bacalhau e rissóis de carne, mas também com folhados de alheira e queijo de ovelha com marmelada, servidos com um Portal Espumante Rosé. Depois de um creme de castanhas, a proposta é um robalo com risoto de citrinos, harmonizado com um Portal Tinta Roriz 2009. O granizado de Portal Femina com lima faz a passagem para a bochecha confitada com frutos de Inverno e cogumelos, que vão à mesa com um Portal Grande Reserva Tinto 2007. Remata a refeição uma trilogia de pêra, que é só o início de um farto buffet de queijos e doces natalícios, que ‘pedem’ um Portal LBV 2008.
Do programa especial de réveillon fazem ainda parte uma visita ao armazém de envelhecimento de vinhos desenhado pelo arquitecto Siza Vieira, com prova de vinhos, logo à chegada, e um brunch no primeiro dia do ano, servido a horas mais tardias como a data obriga.
O programa tem um custo de 160 euros por pessoa. Caso pretenda prolongar a estadia por mais noites, o custo é acrescido de 50 euros por pessoa.

Situada no coração da Região Demarcada do Douro, a Quinta do Portal tem vindo a ser consecutivamente reconhecida mundialmente, quer pelos seus vinhos quer pela sua capacidade enoturística. Além das medalhas e dos prémios conquistados pelos seus néctares, também a Casa das Pipas tem recebido inúmeras distinções. Já venceu duas vezes prémios do Best of Wine Tourism, ostenta o «Galarão Internacional Chave Verde» e a prestigiada revista norte-americana «Forbes» elegeu mesmo a Quinta do Portal como um dos dez melhores destinos vinhateiros de todo o mundo. A inauguração do armazém de envelhecimento de vinhos desenhado pelo arquitecto Siza Vieira tem sido outro trunfo do pólo enoturístico da Quinta do Portal, tendo muito recentemente vencido o prémio internacional «Best of Wine Tourism» na categoria Arquitectura e Paisagem.
Congresso internacional de empreendedorismo
aproxima investidores de quem tem ideias e potencial
- em Lisboa, a 9 e 10 de Dezembro

O Venture Capital IT - Congresso Internacional de Empreendedorismo e Capital de Risco está de regresso a Lisboa, a 9 e 10 de Dezembro, para promover a capacidade de empreendedorismo e aproximar quem a conjuga com ideias e potencial de quem tem capacidade e vontade de investir, de forma a dar corpo a projectos económicos com viabilidade de sucesso.
Organizada pela Gesventure, em colaboração com a APCRI - Associação Portuguesa de Capital de Risco e Desenvolvimento, a 14.ª edição desta iniciativa de referência decorre no Auditório do Banco Popular, junto à Praça de Espanha, e reúne diversos especialistas nacionais e internacionais com foco no capital de risco, ‘business angels’, empreendedorismo e inovação. Vai, além disso, distinguir alguns ‘case studies’ individuais e corporativos cujo êxito constitui exemplo e estímulo para novos projectos.
«Queremos dar palco internacional à excelência, ao conhecimento e à partilha no ecossistema empreendedor português», explica Francisco Banha, CEO da Gesventure, sublinhando que «é tão importante reconhecer o mérito como abrir caminho a quem mostre poder vir a tê-lo».
Nesse sentido, o programa inclui a atribuição de prémios nas categorias de Empreendedor, IntraPreneur e Autarca do Ano, Internacionalização e Inovação. Além disso, durante o congresso, será dada a oportunidade a vários empreendedores de exporem os seus projectos ao público, em apresentações de 10 minutos. Estas realizam-se de forma intercalada com a agenda do evento e têm como objectivos dar visibilidade a novas oportunidades de negócio emergentes e transmitir um pouco do espírito empreendedor que existe no nosso país.
Paralelamente, decorrerão sessões em ambiente privado com sociedades de Capital de Risco e com Business Angels, nas quais os empreendedores e projectos previamente seleccionados pela Gesventure terão oportunidade de apresentar em exclusivo as linhas mestras do seu ‘business plan’ e tentar cativar o investidor para uma reunião subsequente.

Os empreendedores interessados em obter mais informação ou em submeter a candidatura de projetos, cujo período decorre até 4 de Dezembro, podem fazê-lo através do site da Gesventure na internet em http://www.gesventure.pt/vcit2014/elevator.htm .

quarta-feira, 19 de novembro de 2014

Dos 100 melhores vinhos do mundo a melhor relação preço/qualidade é do Douro:
o ‘Quinta do Portal Colheita Tinto 2011’ e o ‘Mural Reserva 2011’

Mais vinhos do Douro distinguidos
pela imprensa mundial

A imprensa mundial especializada está definitivamente rendida aos vinhos portugueses e acaba de anunciar a distinção para mais dois tintos produzidos no Douro, ambos na Quinta do Portal, classificados como “melhor relação qualidade/preço” e “melhor opção de compra” pela “Wine Spectator” e pela “Wine Enthusiast”, duas das mais importantes publicações do sector.
Depois de vários prémios conhecidos na semana passada, que puseram aquela região sob especiais atenções internacionais, as prestigiadas revistas  anunciaram agora que também o "Douro Quinta do Portal - Colheita Tinto 2011" e o "Mural Reserva 2011" constam das suas listas anuais de vinhos particularmente aconselhados.
No caso da "Wine Spectator", que divulgara o Top 10 da lista de 2014 - entre os quais se encontravam três da região do Douro (Dow's Port, Chryseia Douro e Vale Meão Douro) -, a revelação integral dos 100 melhores vinhos do ano a nível mundial só foi conhecida nesta semana e inclui mais um tinto duriense, cabendo ao "Douro Quinta do Portal - Colheita Tinto 2011", assinado pelo enólogo Paulo Coutinho, a vitória em termos de qualidade/preço. O mesmo vinho figura no 27.º lugar na lista global, com 92 pontos.
O tinto da Quinta do Portal é considerado o vinho mais versátil da casa em termos gastronómicos. Tendo como casta dominante a Tinta Roriz de vinhas localizadas a partir dos 350 metros de altitude, conjuga-as harmoniosamente com a Touriga Nacional e a Touriga Franca para um estágio de nove meses em barricas de carvalho francês. O resultado é um néctar fresco e sedutor, de cor intensa e aromas de frutos vermelhos, encorpado e com fim aveludado.
Entretanto, também a igualmente conceituada “Wine Enthusiast” divulgou nesta semana o seu esperado guia de compra “Best of Year 2014”, onde dá conta que o "Mural Reserva 2011" foi acolhido com particular agrado pelos especialistas, que lhe atribuíram a 91.ª posição na lista de melhores vinhos a comprar neste ano.
Touriga Franca, Tinta Roriz e Touriga Nacional conjugam-se com mestria neste tinto parcialmente envelhecido em casco de carvalho francês, que está a suscitar comentários muito positivos de várias outras publicações estrangeiras e a contribuir fazer subir ainda mais a reputação internacional da produção vinícola portuguesa.
O “Mural Reserva 2011” apresenta-se com boa concentração e uma acidez muito equilibrada, sendo um vinho elegante, muito agradável na boca e com um final longo.

Refira-se que a Quinta do Portal está sediada no concelho de Sabrosa, onde possui o complexo enoturístico Casa das Pipas que conquistou o prémio «Best of Wine Tourism» e foi considerado pela revista «Forbes» como um dos melhores dez destinos vinhateiros do mundo.


Dias 27 e 28 de Novembro, na Casa do Infante

Academia Europeia das Ciências
vem ao Porto antecipar o futuro

Vários dos mais reputados investigadores e cientistas internacionais vão encontrar-se no Porto, a 27 e 28 de novembro, para refletir sobre «O futuro da Ciência no Séc. XXI: Ciência e Ética», no âmbito de uma iniciativa da Academia Europeia das Ciências (EURASC). O evento, que tem lugar na Casa do Infante, integra um simpósio com palestras sobre temas de diversas áreas que têm efeitos objetivos para o cidadão comum, bem como reuniões magnas dos órgãos da academia e um painel de conferências pelos mais recentes premiados pela EURASC devido aos seus trabalhos de investigação em diferentes domínios, da matemática à medicina, à física, à engenharia, à química e à computação, entre outros.
“Vamos ter entre nós alguns dos expoentes mundiais da atualidade nos campos das diversas ciências e da investigação”, sublinha o professor de medicina Rui Nunes, coordenador do "Porto, Cidade de Ciência" que, juntamente com o Pelouro da Educação, Organização e Planeamento, apresentou a candidatura da Câmara do Porto à organização do evento, vencendo a várias outras propostas europeias de relevo.
"Esta é uma excelente oportunidade conquistada pela cidade para trazer a ciência até aos cidadãos e estimular neles o interesse pelo conhecimento científico, já que vamos refletir sobre questões concretas que têm a ver com o dia-a-dia de qualquer pessoa", sublinha Rui Nunes. Depois de Bruxelas, Bolonha, Atenas, Milão, Liège e Toulouse, chega assim a vez de o Porto organizar esta iniciativa com forte impacto no turismo e na cultura científica internacional, que constitui também uma promoção do potencial do Porto para a realização de eventos internacionais, devido à notoriedade da EURASC e ao prestígio dos seus membros.
A primeira intervenção do simpósio vai questionar se o Homem deve ou não aproveitar a capacidade que tem de intervir sobre o oceano para diminuir o efeito de estufa e o aquecimento global. A interrogação será lançada por Paul Tréguer, professor emérito do Instituto Europeu para os Estudos Marinhos (IUEM), na Universidade da Bretanha Ocidental, em Brest (França).
A propósito dos atuais tempos de crise, o professor Simon Berkovich, do Departamento de Ciências de Computação da Universidade George Washington, por sua vez, vai recordar que um dos maiores medos da espécie humana é o medo de uma ideia nova, e lançar a provocação: “Podemos dar-nos ao luxo de esperar mais 50 anos sem apoiar verdadeiramente ideias novas?”.
Com abertura pelo presidente da Câmara do Porto, Rui Moreira, e pelo presidente da EURASC, Claude Debru, historiador e filósofo que se debruça sobre as ciências da vida e da medicina, o simpósio inclui uma palestra sobre os desafios das ciências dos materiais a propósito da influência biológica das nanopartículas, pelo professor João Rocha do Departamento de Química (CICECO) da Universidade de Aveiro.
As questões da ética, que dominam o encontro, serão alvo de duas palestras, nomeadamente por Claude Debru, que falará sobre a ética na formação dos cientistas e dos médicos, e por Rui Nunes, que é o responsável pela Bioética e Ética Médica na Faculdade de Medicina da UP e presidente da Associação Portuguesa de Bioética. Rui Nunes falará sobre «Ciência, ética e bioética», analisando diversos aspetos polémicos relacionados com a temática, dos direitos individuais à vertente legal, passando pela perspetiva moral e outras.
Serão igualmente levantadas questões como as da ética na investigação animal, pela investigadora Anna Olsson, do Instituto de Biologia Molecular e Celular (IBMC) da UP, e a da eventual ameaça da ciência pela moda com a consequente alienação de um modelo de desenvolvimento verdadeiro e criativo das gerações jovens, por Manuel García Velarde, professor emérito da Universidade Complutense de Madrid e especialista em física de fluidos.
A par do simpósio, também na Cerimónia de Prémios a EURASC apresenta questões científicas sob a forma de palestras, contando para tal com as participações de nomes particularmente distintos na comunidade científica mundial e que a própria Academia Europeia das Ciências galardoou neste ano com a Medalha Blaise Pascal. São os casos do químico galês Sir John Meurig Thomas, a partir de cujo nome foi chamado o fosfato Meurigite; do matemático alemão Eberhard Knobloch, presidente da Sociedade Europeia para a História da Ciência; do químico alemão Hubert Schmidbaur, que tem estudado principalmente as propriedades do ouro e da prata; do oceanógrafo francês Jean-Pierre Gattuso, estudioso do ciclo do carbono e dos impactos das mudanças globais nos oceanos; e do físico suíço Daniel Loss, especialista em quântica e matéria condensada.

A Academia Europeia das Ciências é uma das principais instituições europeias e mundiais, no âmbito das academias de ciência. Com mais de 700 membros, incluindo um vasto número de laureados com o Prémio Nobel, é uma organização independente sem fins lucrativos, não-governamental, que visa estabelecer uma colaboração internacional entre governos, investigadores, engenheiros e cientistas.

‘Óscares’ do imobiliário de retalho a nível mundial

TANYA HEATH vai aos Mapic Awards
com as lojas do Porto e Paris
- vencedores são conhecidos a 20 de Novembro


A primeira loja portuguesa da marca de tacões e sapatos de senhora TANYA HEATH Paris, recentemente inaugurada no Porto, foi nomeada juntamente com a casa-mãe, em Paris, para a final dos Mapic Awards. Trata-se de uma prestigiada competição internacional que funciona como os “Óscares” no sector imobiliário de retalho e cujos vencedores serão conhecidos a 20 de Novembro.
Tendo a marca mais de uma dezena de lojas por todo o mundo, esta nomeação, na categoria de “Best new retail concept”, assenta numa candidatura conjunta das lojas de Paris e do Porto. A distinção põe assim debaixo dos focos o espaço situado na zona portuense de "Miguel Bombarda", cuja concepção tem a assinatura de Mário Azevedo e Paula Ferreira Alves, do INAIN – Gabinete de Arquitectura e Design de Interiores.
Criados em 1996, os Mapic Awards distinguem anualmente a excelência, inovação e criatividade no imobiliário de retalho a nível mundial, tendo já premiado marcas e conceitos como Sonae Sierra, The Body Shop, Primark, Adidas, McDonald's e Desigual. Além do reconhecimento e prestígio, o galardão confere grande visibilidade aos nomeados pois envolve os melhores projectos e as maiores empresas a nível mundial, sendo escrutinado pelo próprio sector.
«É um enorme orgulho e, ao mesmo tempo, uma grande responsabilidade a notícia desta nomeação para a final, apenas um mês após termos inaugurado a loja», admite a dupla de empresários Paula Andrade e Henrique Leite, responsável pela estreia da marca no nosso país. «Independentemente do resultado» - acrescenta-, «é um forte estímulo e ajuda-nos a avançar com a decisão de levar a TANYA HEATH Paris a outras regiões e, mesmo, a outros mercados lusófonos».
Agora sob as atenções mundiais, a loja portuguesa apresenta os inovadores sapatos concebidos pela criadora franco-canadiana Tanya Heath, os quais mudam de estilo com uma simples e prática troca de saltos/tacões. Mas o espaço é, também ele, uma concepção original a partir de uma antiga galeria de arte: com um painel de retroprojecção virado para o exterior, onde são exibidos pequenos filmes demonstrativos da facilidade de troca dos saltos dos sapatos e da qualidade de fabrico, a loja tira partido da grande visibilidade por se situar num cruzamento de muita circulação de carros e peões. Tem o interior dominado por traços modernos e um atractivo expositor de saltos, dispondo ainda de uma área de exposição de arte contemporânea, no piso inferior, com peças de vários autores.
A 19.ª edição dos Mapic Awards contemplou candidaturas em diferentes categorias por subsectores e estratégias de negócio, indo a da TANYA HEATH Paris + Portugal disputar com as francesas Causses e Sport d'époque e a italiana Out of Gluten o prémio de “Melhor novo conceito de retalho”. A alemã C&A, a espanhola 100 Montaditos e a italiana Illy são algumas das nomeadas noutras categorias.
As candidaturas foram analisadas durante o mês de Outubro por um júri internacional e os vencedores serão revelados a 20 de Novembro, numa cerimónia a realizar durante o “Mapic”. Trata-se de uma grande feira sectorial que, durante três dias, reúne em Cannes, França, 300 dos mais influentes profissionais do sector de todo o mundo, bem como centenas de empresas e marcas e mais de 8.000 participantes nas vertentes de exposição, conferências e eventos de networking.

Desde a sua criação, os Mapic Awards receberam já 1.600 candidaturas e atribuíram 118 troféus a marcas/empresas/conceitos de 40 países, contribuindo para promover a ousadia, a criatividade e a capacidade empreendedora em diversos domínios.

sexta-feira, 14 de novembro de 2014

Criopreservação de pessoas abre
ciclo de conferências sobre bioética
- a 17 de Novembro na Faculdade de Medicina da UP


 As perspectivas da ética na controversa temática da criopresevação de pessoas vão ser analisadas pelo médico e professor Rui Nunes, numa conferência pública a realizar a 17 de Novembro, pelas 18h00, na Faculdade de Medicina da Universidade do Porto.
A sessão inaugura o ciclo de conferências sobre «Bioética: uma ponte para o futuro», que decorrerá naquela faculdade até Junho do próximo ano, por iniciativa da Unidade Curricular de Bioética e Deontologia Médica do Mestrado Integrado em Medicina.
Aberta a toda a comunidade académica da Universidade do Porto e aos profissionais do Centro Hospitalar de São João, a iniciativa "pretende sensibilizar a comunidade académica e a sociedade em geral para alguns dos problemas éticos mais candentes da medicina, da biologia e da genética", explica Rui Nunes, diretor do Departamento de Ciências Sociais e da Saúde da FMUP e promotor da iniciativa.
"Com a colaboração de especialistas portugueses e brasileiros de bioética e de biodireito, pretende-se, também, incentivar a criação de uma perspectiva luso-brasileira neste domínio, com vista à geração de sinergias e de legislação com referências éticas semelhantes", acrescenta o professor universitário, também presidente da Associação Portuguesa de Bioética.
A Unidade Curricular de Bioética e Deontologia Médica tem como objetivo essencial o ensino, e consequente aprendizagem, da ética nos cuidados de saúde, muito em particular no que diz respeito à dimensão ética da saúde e da doença e sua relação com a profissão médica. No plano dos conceitos, está focada na transmissão tão ampla quanto possível das teorias éticas mais representativas do pensamento humano, de modo a que seja viável a integração desses conceitos na tradição humanista característica das sociedades modernas ocidentais.
Após a conferência de Rui Nunes «Crioética: ética da criopreservação de pessoas», a 17 de Novembro, o ciclo prosseguirá em Dezembro com a análise do «Testamento vital no Direito brasileiro», pelo jurista Fernando Horta Tavares, e da «Ética e gestão da Saúde», por Guilhermina Rego, professora da FMUP e vice-presidente da Câmara Municipal do Porto.
Em Janeiro, a professora Stela Barbas, da Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa, relacionará «O Direito, a Ética e a Saúde», seguindo-se em Fevereiro «Novas fronteiras da genética», por Natália Oliva Teles, bióloga especializada em genética humana e bioética, e «Ética e Ordens Profissionais», pelo bastonário da Ordem dos Psicólogos Portugueses, Telmo Baptista, psicólogo clínico e psicoterapeuta.

O ciclo contempla ainda uma conferência sobre «Ética médica e pedofilia», em Março, por Miguel Leão, neuropediatra especialista em Genética Médica e presidente do Conselho Nacional de Ética e Deontologia Médicas da Ordem dos Médicos, realizando-se a sessão de encerramento em Junho, com a especialista em biodireito Helena Pereira de Melo, professora da FMUP, a debruçar-se sobre a «Ética e pessoa com deficiência».
Casos de violência entre menores, sobretudo no namoro, já são 10 por cento do total de queixas

«Educação +»: projecto pioneiro da ADDIM pretende
que a sensibilização contra a violência comece nas escolas



O mês de Novembro é especialmente dedicado à luta contra todos os tipos de violência. É nesse contexto que, no dia 20, a ADDIM, Centro de atendimento à Vítima do Porto, vai promover uma jornada contra a violência doméstica e participará, dia 22, numa marcha na Baixa do Porto contra a violência doméstica e de género.
Um dos projectos que a associação está a desenvolver denomina-se «Educação+» e pretende trabalhar a cidadania, a igualdade de género e o respeito pelos Direitos Humanos junto dos alunos das escolas do concelho do Porto, abrangendo mais de 1100 adolescentes.
A necessidade de começar este trabalho de sensibilização na adolescência é cada vez mais premente, facto comprovado pelo número crescente de queixas de violência entre menores. “Das 27.318 queixas apresentadas no âmbito da violência doméstica, 10% foram participadas por menores de 16 anos. A violência nas relações de namoro assume entre os jovens valores inquietantes de vitimação e de perpetração. No namoro há muita violência e os agressores são os rapazes, mas também as raparigas”, revela Carla Mansilha Branco, presidente desta IPSS, acrescentando que “a violência é biunívoca, difere do contexto de violência conjugal onde as vítimas são esmagadoramente mulheres”.
Em marcha desde o passado dia 13 de Outubro, o projecto «Educação+» terminará no final do presente ano lectivo e constará de treze sessões de esclarecimento com especialistas, divididas pelos três períodos escolares, onde a ADDIM vai tentar “que no final os jovens sejam capazes de perceber os sinais de alerta de uma situação de violência no namoro, ou de bullying, e que eliminem comportamentos assentes em crenças, tais como ‘ciúmes é prova de amor’, ou que se deve responder à violência com violência”, sustenta Carla Mansilha Branco. E, para que sejam capazes de reagir perante estes sinais, pretende-se que os jovens em idade escolar consigam “desenvolver competências comunicacionais que lhes permitam resolver os conflitos tendo por base o diálogo e a assertividade”. Nos últimos anos o combate à violência doméstica tem sido feito utilizando estratégias de intervenção secundárias e terciárias, isto é, atacando o problema quando ele já está instalado. O trabalho que está a ser levado a cabo pela ADDIM privilegia a detecção precoce de sinais de violência e a intervenção imediata.
Segundo a World Health Organization, factores como as características biológicas, a influência parental e comunitária, drogas ou gangues são determinantes para o jovem desenvolver comportamentos violentos. A resposta passa pela consciencialização para as consequências de actos violentos e a escola constitui-se como um espaço onde esses comportamentos são evidenciados, uma vez que é lá que grande parte deles passa mais tempo por dia. “É um espaço de transmissão de saberes e aprendizagem, mas também o palco onde se desenvolvem as primeiras amizades, relacionamentos amorosos e onde são aplicados os valores culturais e educacionais que lhes são transmitidos pelo meio em que se inserem”, sublinha a responsável da ADDIM.
Criada a 3 de Setembro de 1999, a ADDIM surgiu da vontade de um grupo de cidadãs que, sensíveis aos obstáculos em denunciar crimes de violência perpetuados contra mulheres e crianças, tomou a iniciativa de fundar uma associação que as defendesse, promovendo a valorização pessoal, profissional e social das suas utentes no combate à exclusão social e à perpetuação da diferença.

No ano passado, a associação inaugurou um novo centro de acolhimento, a funcionar na Rua Bento de Jesus Caraça, no Porto, num espaço cedido pela Santa Casa da Misericórdia do Porto.

sexta-feira, 31 de outubro de 2014

EMAF cresce 40% e aposta
nas exportações da indústria nacional
- de 19 a 22 de novembro na Exponor


 Mais expositores, mais novidades e maior aposta nas exportações são os principais vetores da 15.ª EMAF - Feira Internacional de Máquinas, Equipamentos e Serviços para a Indústria que, entre 19 e 22 de novembro, revela na Exponor o que de mais avançado se faz na fileira industrial portuguesa.
Contando com um grande envolvimento da AIMMAP – Associação dos Industriais Metalúrgicos, Metalomecânicos e Afins de Portugal, o certame regista neste ano um crescimento do número de expositores superior a 40%, com cerca de 340 empresas industriais já confirmadas, e reflete a pujança de um setor onde as tecnologias de produção são preponderantes, tendo em conta que produzem bens de suporte à produção dos demais setores.
Essa expressividade no contexto da economia portuguesa está patente num estudo promovido pela Exponor juntamente com o PRODUTECH – Pólo das Tecnologias de Produção, onde se constata que, no universo das indústrias transformadoras do país, as tecnologias de produção respondem por 11% das empresas, ou seja, por 7.834 empresas. Asseguram também 8% da mão-de-obra, ao que correspondem 53 mil postos de trabalho, e geram 7% do volume de negócios, totalizando 5.335 milhões de euros, de acordo com os dados disponíveis.
Por outro lado, a monografia temática e setorial dá conta que a fileira das tecnologias de produção tem vindo a registar “um aumento fortíssimo da sua orientação para o exterior”. O resultado foi que a taxa de cobertura das importações pelas exportações passou de 48%, em 2004, para 63%, em 2011, notando-se ao mesmo tempo uma diversificação dos mercados-destino, com Angola a assumir a liderança desde 2012.
O estudo Exponor/PRODUTECH, assinado pela Sociedade de Consultores Augusto Mateus & Associados, salienta ainda nas conclusões que, não obstante a evolução registada, a falta de dimensão crítica das nossas empresas traduz-se numa limitação do setor, na medida em que o não aproveitamento de economias de escala/gama dificulta o processo de internacionalização; acresce a inexistência de uma política comercial agressiva nos mercados externos, o baixo conhecimento dos mesmos e a escassez de pessoal qualificado.
Desta forma, diversos aspetos do estudo atestam a crescente importância de uma feira como a EMAF, que recebeu cerca de 36 mil visitantes na edição anterior. O certame constitui simultaneamente uma montra do que mais evoluído se faz no setor e um estímulo para se fazer ainda melhor, sendo prova disso a inclusão no evento da 7.ª edição do Concurso de Inovação. Promovido em colaboração com a «Revista Robótica», visa premiar as empresas e os projetos que, nos últimos dois anos, mais se notabilizaram no desenvolvimento de tecnologias e soluções inovadoras, assim como no processo produtivo nacional. Serão atribuídos o «Prémio Leonardo Da Vinci» (inovação nacional) e o «Prémio Nicola Tesla» (inovação internacional) a criações que tenham viabilidade concreta e que sejam orientadas para a solução de problemas objetivos.
Ainda nesse espírito, realiza-se no dia 20, entre as 14h00 e as 17h30, o seminário “Inovar e Empreender” que inclui intervenções de vários especialistas e assinala os 25 anos da «Revista Robótica», terminando com a cerimónia de entrega do Prémio Inovação.
Também em simultâneo, a Exponor organiza a FIMAP - XVIII Feira Internacional de Máquinas para Trabalhar Madeira e o FERRÁLIA - XIII Salão de Acessórios e Equipamentos para a Indústria da Madeira.

As mais diversas áreas industriais marcarão assim presença neste certame de referência, desde os plásticos às borrachas, máquinas e ferramentas, manutenção industrial, fundição, logística e transportes, química e laboratórios, robótica e informática aplicadas à indústria. 

segunda-feira, 27 de outubro de 2014

Feira e salão na Exponor, em simultâneo com a EMAF

FIMAP/FERRÁLIA apresenta novidades
da fileira florestal e das madeiras

- eventos industriais de nível internacional entre 19 e 22 de novembro

A grande montra de tecnologia, equipamentos e novidades ligadas à fileira florestal e das madeiras regressa à Exponor entre 19 e 22 de novembro, para a FIMAP – Feira Internacional de Máquinas para Trabalhar Madeira que, mais uma vez, se realiza em paralelo com o FERRÁLIA – Salão de Acessórios e Equipamentos para a Indústria da Madeira.
Os dois eventos, que se tornaram já um marco obrigatório e de nível europeu nos negócios relacionados com a fileira florestal e a madeira, atingem neste ano as 18.ª e 13.ª edições, respetivamente, confirmando um longo historial de promoção e parceria com os agentes económicos. Acresce que a dupla FIMAP/FERRÁLIA vai decorrer em simultâneo com a EMAF – Feira Internacional de Máquinas, Equipamentos e Serviços para a Indústria, o que permite potenciar a facilitação de negócios em cada um deles, como é objetivo primordial da Exponor.
Sendo altamente especializados, FIMAP e FERRÁLIA apresentam-se como a plataforma ideal para a apresentação de soluções e inovações dirigidas a toda a cadeia de valor industrial.
De acesso reservado a profissionais, estes eventos terão as portas abertas diariamente das 10h00 às 20h00 e ali poderão encontrar-se produtos e equipamentos ligados ao trabalho da madeira aos mais diversos níveis, incluindo derivados, e também colas, tintas e outros produtos químicos, caixilharias, ferragens, ferramentas, equipamento de aspiração e software.
O perfil do visitante é também muito vasto e vai de arquitetos e decoradores a carpinteiros, instaladores, reformadores, associações, cooperativas, escolas e centros de formação, fornecedores grossistas, indústria auxiliar e subcontratação.

Concurso promove I&D
A realização simultânea das três feiras é aproveitada pela EMAF para alargar aos expositores da FIMAP e do FERRÁLIA o desafio de participarem também no seu Concurso de Inovação, que vai agora para a 7.ª edição.
O concurso, fruto de uma parceria com a «Revista Robótica», visa conferir maior visibilidade e reconhecimento às componentes de investigação e desenvolvimento, destacando a sua importância crucial para a evolução da indústria das tecnologias de produção.

Neste enquadramento, o 7.º Concurso de Inovação vai atribuir os dois prémios habituais - Inovação Nacional (Leonardo da Vinci) e Inovação Internacional (Nicola Tesla) - aos produtos considerados de excelência, com incorporação de alto índice de inovação. A avaliação das candidaturas respeitará os aspetos de conceção, originalidade e operacionalidade dos produtos apresentados, sendo os projetos vencedores alvo de destaque em espaço próprio enquadrado na feira.

sexta-feira, 24 de outubro de 2014

«Time2Export» prepara empresas
para negócios com o exterior

- a 12 de novembro na Exponor


Preparar as empresas para melhor explorarem as oportunidades de negócios que a economia global oferece em 20 mercados concretos é o principal objetivo do «Time2Export - Summit - global business», um evento de características muito práticas e objetivas que a Exponor – Feira Internacional do Porto estreia a 12 de novembro.
Compreendendo diversos workshops simultâneos de curta duração, entre as 9h30 e as 19h00, e ainda uma exposição com agentes económicos de referência ligados ao processo de internacionalização e um espaço de networking, a 1.ª edição do «Time2Export» conta com a participação de mais de duas dezenas de oradores de prestígio e com vasta experiência de negócios além-fronteiras. A meta é fornecer aos profissionais e empresas informações vitais, ferramentas e possibilidades de estratégia para exportar e/ou internacionalizar os seus negócios para 20 mercados da Europa, África, Américas e Médio Oriente, tendo em conta a complexidade do processo que tais opções implicam.
O evento, com diferentes modalidades de participação (individual, empresas, com ou sem espaço de exposição e promoção), é especialmente dirigido a responsáveis e decisores de PME da indústria, serviços e agricultura, responsáveis e técnicos de mercado, operações, logística, finanças, comercial e marketing, empreendedores e investidores.
“Trata-se de uma oportunidade única para ganhar um melhor conhecimento dos mercados, avaliar oportunidades de negócios e ter acesso a soluções costumizadas”, considera o diretor de Feiras e Congressos da Exponor, Filipe Gomes.
Dado o caráter prático desta iniciativa, o «Time2Export» apresentará também casos de experiências de internacionalização já concretizadas com sucesso nos diferentes mercados e em diferentes setores.
“Enquanto parceiros privilegiados das empresas, queremos levar até elas informação detalhada sobre soluções e serviços de valor acrescentado, tanto para as que têm vocação exportadora como para as que se encontram em processo de internacionalização”, aponta Filipe Gomes.
O «Time2Export» conjuga, por isso, as vertentes de formação e de informação com a possibilidade de aprendizagem e troca de experiência entre profissionais no domínio da internacionalização. Conta igualmente com os contributos de variadas empresas e entidades oficiais, incluindo o patrocínio do Montepio e a presença de 14 Câmaras de Comércio Bilaterais e duas dezenas de expositores.
“Pretendemos contribuir decisivamente para alavancar as exportações nacionais e para diminuir o risco para as empresas através de uma melhor preparação/informação sobre mercados”, acrescenta o diretor, recordando a importância de que as exportações se revestem para o desenvolvimento do País, de geração de riqueza e equilíbrio da nossa balança comercial.


Collove desfilou a sensualidade
da sua colecção Outono/Inverno

Qualidade, versatilidade, conforto, estilo e elegância são traços da colecção Outono/Inverno da Collove, marca de collants e roupa interior sem costuras que mostrou a sua colecção ao público da In Beauty, feira de cosmética, estética e beleza, que teve lugar, no passado dia 11 de Outubro, na MEO Arena.
Uma linha ecléctica, com soluções mais jovens e trendy ou mais clássicas, mas capaz de responder às diferentes necessidades da mulher moderna, activa, que procura no que veste conforto e simultaneamente, design e qualidade.
Perante uma plateia de cheia de caras conhecidas, como Liliana Campos, Débora Montenegro, Jéssica Athayde, Alexandra Fernandes ou Andreia Dinis, as manequins da Collove desfilaram os collants, meias, bodies, t-shirts, soutiens e diferentes modelos de cuecas, com padrões mais sóbrios ou mais quentes, num cenário de sensualidade e glamour que prendeu a atenção de alguns dos milhares de pessoas que passaram pela feira.
Trata-se, aliás, de uma colecção que segue as tendências de moda além-fronteiras e que teve excelente aceitação em feiras internacionais de moda onde a marca esteve presente, designadamente Paris e Bogotá, na Colômbia.
A marca distingue-se no segmento em que actua pelo fabrico do vestuário sem costuras, o que permite uma maior flexibilidade e conforto no quotidiano.

Comercializada pela Custoitex, a Collove está presente, para além de todo o território nacional, nos mercados norte-americano e europeu, depois de ter, recentemente, avançado para a internacionalização. Desde que foi criada, em 1976, mantém-se como uma empresa familiar com elevado know-how na produção de collants e roupa interior sem costuras. A gerência da empresa, que emprega cerca de 70 pessoas, é da responsabilidade de Sandra Morais. 

quarta-feira, 22 de outubro de 2014

Congresso e Assembleia Geral da UFI realiza-se neste mês

Exponor foi escolhida para a direção
da indústria mundial de feiras

A Exponor acaba de ser reeleita para o Board of Directors da UFI – The Global Association of the Exhibition Industry, a principal associação mundial da chamada “indústria de feiras”.
Membro desde 1991, a Exponor vinha já integrando nos últimos anos o órgão diretivo da instituição, ao qual cabe implementar as decisões tomadas na Assembleia Geral realizada anualmente, desenvolver a política da UFI e preparar as propostas relacionadas com questões que afetam as feiras internacionais, que são depois submetidas a votação em Assembleia Geral.
O novo mandato, relativo ao triénio 2015-2017, tem início no próximo dia 30, imediatamente após a Assembleia Geral da organização, integrada no 81.º Congresso que decorre, entre 29 de outubro e 1 de novembro, em Bogotá, na Colômbia.
A UFI - The Global Association of the Exhibition Industry foi criada em 1925 e é a mais representativa associação da designada “indústria de feiras” a nível mundial. Conta atualmente com mais de 600 membros, de 85 países, entre organizadores de feiras, proprietários de parques de exposições e associações nacionais e internacionais da indústria de feiras e respetivos parceiros.



Vinhos da «Quinta do Quetzal» chegam
‘engravatados’ ao mercado

Três tintos do produtor alentejano «Quinta do Quetzal» vão chegar brevemente ao mercado com um elegante adereço no gargalo das garrafas que pretende fazer reflectir o brilho e prestigio conquistados recentemente pelos vinhos no concurso internacional Ultimate Wine Challenge.
As distinções foram atribuídas por um júri internacional integrado por 24 respeitados sommeliers, escanções e jornalistas especializados, a quem agradaram particularmente as características organolépticas dos vinhos Quetzal Reserva Tinto 2010, Guadalupe Winemaker’s Selection Tinto e Guadalupe Tinto 2011, ou seja, a totalidade de candidatos com que o produtor português se apresentou a concurso.
Em prova cega sobre mais de 850 vinhos de regiões vitivinícolas de todo o mundo, o Quetzal Reserva Tinto 2010 conquistou 95 pontos e a classificação de "Extraordinário", o Guadalupe Winemaker’s Selection Tinto 2010 somou 93 pontos e foi considerado "Excelente" e o Guadalupe Tinto 2011 obteve igualmente 93 pontos e as classificações de "Excelente" e "Great Value" por parte dos especialistas.
Dado o significado de tais prémios, a Quinta do Quetzal vai agora ornamentar de forma distinta algumas das suas garrafas, nomeadamente as da gama Guadalupe, de forma a comunicar ao público este motivo de orgulho para os vinhos nacionais.
Assim, o gargalo das garrafas Guadalupe Tinto, Rosé e Branco, Guadalupe Winemaker's Selection Tinto e Branco adoptará o formato de uma gravata, acessório de vestuário conotado com a elegância, personalizando desse modo a marca. Ao mesmo tempo, a Quinta do Quetzal confere mais classe às garrafas também em termos estéticos, estabelecendo um "diálogo" com o consumidor em que pretende enfatizar a reconhecida qualidade dos seus vinhos a nível mundial.
Os resultados alcançados revestem-se de particular significado, tanto para o produtor como para o setor vínico português, uma vez que ganhar em três categorias diferentes não pode ser visto como mera coincidência, mas sim como o resultando de uma avaliação rigorosa e imparcial por parte de um júri de idoneidade reconhecida.
Na nota de avaliação, os 24 peritos apontaram que o Quetzal Reserva Tinto 2010, além de merecer as classificações de “Finalist, Extraordinary, Ultimate Recomendation”, é um vinho de «cor profunda, vermelho rubi e que no nariz é simplesmente maravilhoso, pois apresenta camadas de framboesa maduras e ameixa preta combinadas com notas de cacau e baunilha. Tem estilo e charme em abundância».
Por sua vez, o Guadalupe Winemaker’s Selection Tinto 2010, considerado “Finalist, Excelent Highly Recomended”, é um vinho com uma cor quase negra e opaca, intensamente frutado e onde se destacam as passas e a ameixa, tendo o júri referido o seu sabor intenso, espalhando quase uma fragância a chá, que juntamente com a textura acetinada do néctar completa uma experiência extraordinária.

Quanto ao Guadalupe Tinto 2011, vinho de entrada de gama que conquistou o painel de provadores e foi igualmente classificado como “Excelente”, ostenta cor bordeaux forte, apresenta-se concentrado e generoso, com notas de frutos secos e madeira, revelando uma moderada presença de taninos e baga seca. Apresenta-se, além disso, com uma excelente relação qualidade/preço. Por tudo isto, os membros do mais conhecedor e exigente júri do mundo apontaram que os vinhos da Quinta do Quetzal são «World Class».