Número total de visualizações de página

terça-feira, 29 de julho de 2014

EMAF procura projetos com potencial económico

Concurso estimula indústria
a inovar na forma de produzir

 - vencedores serão conhecidos em novembro, durante a feira na Exponor

"Contribuir para a criação de emprego e para a fixação de profissionais no País" são dois dos pilares do ‘Concurso de Inovação’ lançado conjuntamente pela EMAF - Feira Internacional de Máquinas, Equipamentos e Serviços para a Indústria e pela revista Robótica, cujo prazo para receção de candidaturas termina a 10 de outubro próximo.
Este desafio pretende avaliar a capacidade das empresas para gerar produtos inovadores, capacidade essa que “está mais ligada à competência e à inovação e menos aos produtos em si, que são importantes mas constituem uma realização dessa capacidade”, aponta o presidente do júri, Norberto Pires, professor do Departamento de Engenharia Mecânica da Universidade de Coimbra e diretor da revista Robótica.
O concurso, que vai para a 7.ª edição, acompanha a evolução do mercado e da produção industrial, com o objetivo de “conseguir fazer aparecer projetos com uma forte componente de inovação, mas com grande potencial de aplicação prática”, afirma Norberto Pires.
O docente considera que, depois do nascimento da robótica industrial na década de 70 e do verdadeiro ‘boom’ que teve em meados de 90 para responder à tendência da globalização, “estamos a assistir a uma nova necessidade de a conjugar com o fator humano, o que introduz novos desafios à conceção de soluções para o setor produtivo”.
Norberto Pires diz que “existe em Portugal uma ligação forte e crescente entre as universidades - enquanto centros que produzem conhecimento - e as empresas, e essa ligação tem que ser incentivada porque é a nossa maior força de desenvolvimento”. No entanto, “a inovação já é uma aposta habitual das grandes empresas, mas a economia portuguesa é constituída essencialmente por PMEs e é delas que depende”, frisa o presidente do júri do Concurso Inovação. “Ora, este concurso funciona como a aproximação à indústria para responder objetivamente às necessidades do mercado quando se fala tanto de reindustrialização”, afirma.
O concurso ganha assim um novo fôlego, numa altura em que a EMAF atinge a sua 15.ª edição e em que a revista Robótica está a celebrar 25 anos de publicação, assumindo em pleno o princípio de que “não se trata de estimular a inovação pela inovação, mas de fazer dela um verdadeiro fator de competitividade para as empresas”. Daí que este desafio se revista de importância no domínio da criação de emprego e da fixação de profissionais competentes.
Para Norberto Pires, “o projeto funcionará como a semente apresentada pelos concorrentes e nós damos o vaso, a terra e a água, que constituem o prémio".
No âmbito do concurso, serão atribuídos o Prémio de Inovação Nacional “Leonardo da Vinci” e o Prémio de Inovação Internacional “Nicola Tesla”. Será também atribuído um Prémio Projeto Inovador àquele que for considerado como o melhor em termos de inovação pelas universidades e politécnicos.
O júri, que integra outros docentes e investigadores como Borges Gouveia (Universidade de Aveiro), Fernando Ribeiro (Universidade do Minho), António Moreira e Teresa Restivo (ambos da (Universidade do Porto), apreciará as candidaturas segundo os parâmetros de conceção, originalidade, aspetos de inovação e operacionalidade.
Os vencedores serão conhecidos a 20 de novembro e colocados em exposição no Espaço Inovação, enquadrado na área expositiva da EMAF, que decorre entre 19 e 22 de novembro na Exponor. No caso de o equipamento ser de grandes dimensões, ficará colocado no espaço do respetivo vencedor.

Em simultâneo com a EMAF - Feira Internacional de Máquinas, Equipamentos e Serviços para a Indústria, decorrerão na Exponor a FIMAP – 18ª Feira Internacional de Máquinas para Trabalhar Madeira e o FERRÁLIA – 13º Salão de Acessórios e Equipamentos para a Indústria da Madeira.

quarta-feira, 23 de julho de 2014

1.º Campeonato Português decorreu hoje e levou espectáculo de acrobacia à Praça D. João I

Portuenses e turistas deliciaram-se
com as melhores pizzas do país

O molho, os ingredientes ou o tempo de cozedura? A opinião dos chefs varia, mas há um ingrediente essencial: "a paixão com que se cozinha".
O segredo foi revelado hoje por Antonio Mezzero, «Embaixador da Pizza Napolitana em Portugal» e organizador do 1.º Campeonato Português de Pizza que, ao longo de todo o dia, decorreu na Praça D. João I, no Porto, e cujas inscrições reverteram a favor da ala pediátrica do Instituto Português de Oncologia do Porto.
Aquela zona central da baixa portuense juntou mais de duas dezenas dos melhores pizzaiolos de todo o país que, entre as 10h30 e as 17h30, cozinharam as suas especialidades, submetendo-as ao olhar e paladar apurados de um júri. Este incluía especialistas de renome e representantes de diferentes competições internacionais da especialidade, como Giorgio Damasio, Augusto Gemelli, Carmine Basile, Leone Copolla, Giovanni Portese, Hélio Loureiro, Pedro Lemos, Marco Gomes, Lígia Santos e Ruy Leão. Coube-lhes a tarefa de provar todas, escolher as três melhores pizzas segundo o sabor e outras tantas de acordo com a aparência.
Ainda que não contando para a classificação no campeonato, uma outra “avaliação” decorreu ao longo do dia na Praça D. João e teve como protagonistas as centenas de portuenses e turistas que por ali foram passando e a quem iam sendo oferecidas para degustação fatias da especialidade gastronómica de origem italiana.
Num ambiente festivo, quem assistia ao evento deliciou-se também com os shows de pizza acrobática  do tricampeão do mundo, Paulino Bucca, e do campeão do mundo da especialidade, Leone Copolla, que lançavam bem alto a massa em movimento e provocavam suspense até conseguirem apanhá-la sem que caísse.
“Este é o nosso objectivo: promover a pizza e os pizzaiolos de Portugal”, apontou Antonio Mezzero, pizzaiolo napolitano que há anos se apaixonou por Portugal e que dirige a Pizzeria Pulcinella, em Matosinhos. “Servimos aqui mais de 500 pizzas ao público, enquanto o júri teve de provar 22, e mostrámos que a variedade é uma das riquezas deste prato que já não é só italiano, mas internacional”, explicou o organizador.
Os melhores classificados deste 1.º Campeonato Português de Pizza ganharam em fama, mas também em proveito, já que ficaram seleccionados para representarem o País nos melhores eventos mundiais da especialidade.
De acordo com a decisão do júri, o prémio para a Melhor Pizza foi conquistado pelo chef Giuseppe Irace, da pizzeria La Fiamma (Barcelos), com a pizza Napoli Palermo, que conquistou também o 2.º lugar no Prémio Beleza. Ainda na categoria de Melhor Pizza, seguiram-se o chef Vítor Peixoto, da pizzeria Siamo in Due (Esposende), com a pizza Siamo in Due, e o chef Manuel Fernando Fernandes, da pizzeria Napolitana (Pevidém/Guimaraes), com a pizza Pepperoni.
Quanto ao Prémio Beleza, a escolha do júri recaiu sobre o trabalho do chef André Martins Rodrigues, da Pizzeria Vieri (Esmoriz), com a pizza Generoso. O 3.º lugar coube ao chef Pedro Girão, da pizzeria Girão (Porto), com a Pizza d'Aldeia.
A cerimónia de atribuição dos prémios contou com a participação Vereador da Cultura da Câmara Municipal do Porto, Paulo Cunha e Silva, do Cônsul Honorário de Itália no Porto, Paolo Pozzan, e do vogal do conselho de administração do IPO Porto, Rocha Gonçalves, a quem foi entregue o cheque de 1.100 euros resultante das inscrições no campeonato.
Entretanto, e ainda antes de terminada a jornada, Antonio Mezzero mostrou-se “muito satisfeito” com o sucesso da iniciativa e afirmou o empenho redobrado para a realização do 2.º Campeonato Português de Pizza em 2015.
Refira-se que o “Embaixador da Pizza Napolitana em Portugal” representou já o nosso País nos maiores certames internacionais dedicados à pizza, como o campeonato europeu da especialidade, onde alcançou o 4.º lugar que lhe valeu acesso à final do torneio e uma entrada directa no campeonato do mundo.

Já no ano passado, com a intenção de promover e divulgar a pizza como prato de excelência, Antonio Mezzero teve uma primeira grande acção pública com a produção de uma mega-pizza com cinco metros de diâmetro, cujo objectivo foi assinalar os 250 anos da Torre dos Clérigos, a principal das muitas obras deixadas no Porto pelo arquitecto italiano do Séc. XVIII, Nicolau Nasoni.


Mercado português de joalharia, ourivesaria e relojoaria
avaliado em 1.000 milhões de euros



O crescimento do emprego na relojoaria, ao contrário da ourivesaria e da joalharia, a quebra da indústria e o aumento do comércio e do volume global de transações, em contraciclo com a economia portuguesa, são alguns dos destaques do estudo sobre o setor revelado pela PortoJóia, num encontro com diversos agentes económicos, na Exponor.
Regista-se que o comércio de retalho especializado na ourivesaria e joalharia cresceu a partir de 2008 a uma média anual de 18,9% (27,3% na região Norte, 17,5% no Alentejo, 16,4% em Lisboa, 6,7% no Centro e 4% no Algarve), num contraste evidente com a generalidade da economia nacional, tendência essa que reflete a subida do preço do ouro em tempos de crise e o comércio relativo ao ouro usado. Segundo dados de 2012 (INE), o volume de negócios terá atingido em 2012 os mil milhões de euros.
A título de exemplo a região Norte agrega 44% do total das empresas da cadeia de valor, parcela que ascende a 80% quando em causa está apenas a componente industrial
Ao contrário do comércio, o fabrico de joalharia e ourivesaria registou uma contração muito significativa no período 2004/2012, com uma queda de 43% no emprego e de 38% no VAB (com pequena recuperação entre 2009 e 2010).
Já o fabrico de relojoaria (incluindo componentes) afirma-se claramente como emergente em Portugal e revela um crescimento de 233% naquele período, associado a aumentos de 324% do VAB e de 176% do emprego. Essa dinâmica é atribuída, em grande medida, ao investimento direto estrangeiro por parte de multinacionais de origem suíça, francesa e alemã, ao aumento do nível de atividade de empresas existentes a produzir peças em regime de subcontratação e a trabalhar em processos de montagem de caixas de relógio e, ainda, a fenómenos recentes de empreendedorismo. 
Por outro lado, a análise das vendas ao exterior constata França, Espanha, EUA, Suíça, Angola e Itália como países responsáveis por 50% das exportações portuguesas do setor, que não foram além dos 150 milhões de euros em 2012 (112 milhões em relógios e componentes e 37 milhões em artefactos de joalharia, relojoaria e componentes). Há ainda uma forte e crescente procura do mercado de Hong Kong, o que lhe confere grande potencial para as exportações nacionais, num grupo onde pontificam também Chipre, Angola, Japão e França.
Todos estes números resultam do estudo elaborado pela empresa consultora  SIGMA, evidenciando um bom potencial para o aumento das exportações portuguesas, sobretudo para a Ásia e Médio Oriente, como forma de contrariar o panorama menos otimista que se vive a nível nacional.
Confiante na dinamização do setor, a organização da Portojoia já se encontra a trabalhar no sentido de desenvolver uma nova proposta de valor, que se traduz num novo posicionamento para a feira, indo ao encontro das expetativas do mercado.

A reunião contou com a participação de vários expositores habituais da PortoJóia e ainda de entidades como a AORP (Associação de Ourivesaria e Relojoaria de Portugal), a Contrastaria do Porto, órgãos da imprensa especializada e vários outros agentes ligados ao setor, serviu ainda para apresentar algumas das ideias que irão assinalar as bodas de prata da PortoJóia - Feira Internacional de Joalharia, Relojoaria e Ourivesaria, a concretizar até à realização da 25.ª edição do certame, em setembro próximo, na Exponor.

terça-feira, 15 de julho de 2014

25 dos melhores pizzaiolos nacionais disputam
«I Campeonato Português de Pizza», no Porto


A praça D. João I, na Baixa do Porto, vai ser o palco do I Campeonato Português de Pizza, que se realiza dia 21 de Julho. Vinte e cinco pizzaiolos das mais prestigiadas pizzerias de todo o País vão confeccionar pizzas para serem submetidas à aprovação de um júri de renome.
Durante praticamente todo o dia, num evento de acesso livre, quem passar por este local nobre da cidade pode assistir à confecção ao vivo das melhores pizzas de cada uma das pizzerias inscritas e selecionadas pelo mestre Mezzero e pelo fornecedor italiano de produtos Italmarket. Ao longo da competição, a Pizzeria Pulcinella, propriedade de Antonio Mezzero, vai confeccionar centenas de pizzas que vão estar disponíveis para degustação para todos os que passarem pela Praça D. João I, numa oportunidade única para provar os verdadeiros sabores italianos.
O Campeonato Português de Pizza é um projecto desenvolvido e maturado durante cerca de oito meses, “tendo em vista projectar nacional e internacionalmente os pizzaiolos portugueses, que vão ter a oportunidade de estar nos melhores eventos mundiais da especialidade”, sustenta o mentor do campeonato.
Antonio Mezzero nasceu em Nápoles, mas apaixonou-se pelo nosso País, de há seis anos a esta parte, altura em que visitou Portugal e decidiu que era aqui que queria ficar. É o dono da prestigiada Pizzeria Pulcinella, em Matosinhos, e coloca uma grande paixão, amor e profissionalismo em tudo o que faz na pizzeria, o que já mereceu a elevação à categoria de «Embaixador da Pizza Napolitana em Portugal». Em nome de Portugal, participou nos maiores certames internacionais dedicados à pizza, como o campeonato europeu da especialidade, alcançando o quarto lugar, o que lhe valeu acesso directo à final do torneio e uma entrada directa no campeonato do mundo.
Já no ano passado, com a intenção de promover e divulgar a pizza como prato de excelência, teve uma primeira grande acção pública, produzindo uma mega-pizza com cinco metros de diâmetro, para assinalar os 250 anos da Torre dos Clérigos, monumento emblemático do Porto desenhado pelo arquitecto italiano Nicolau Nasoni. Antonio Mezzero quis ir mais longe, e agora empreende o I Campeonato Português de Pizza, que vai encher a Praça D. João I com os pizzaiolos das melhores vinte e cinco pizzerias, para além de um júri com representantes da organização dos campeonatos europeu e dos dois mundiais.
Nomes conceituados estão convidados e vão fazer parte do júri deste evento, designadamente: Giorgio Damasio, Augusto Gemelli, Carmine Basile, Leone Copolla, Giovanni Portese, Hélio Loureiro, Pedro Lemos, Marco Gomes, Lígia Santos e Ruy Leão, para verem e avaliarem as pizzas a concurso em duas categorias: as pizzas mais saborosas e as pizzas com melhor aparência.
Cerca das 10h30 terá lugar a apresentação dos participantes, decorrendo as provas durante todo o dia. Para abrilhantar a festa, estão previstos dois shows de pizza acrobática, um por volta das 14h00 e outro no final do evento. Para estas demonstrações estão confirmadas as presenças do tricampeão do mundo da especialidade, Paulino Bucca, e do campeão do mundo da especialidade, Leone Copolla.
O evento deverá terminar cerca das 18h00, altura em que se ficará finalmente a saber quem é o grande vencedor desta primeira edição Campeonato Português de Pizza.
Resta referir que o primeiro classificado recebe uma taça, qualificação e Inscrição para participar no Concurso Mundial de Pizzaiolo, que se realizará em Setembro. O segundo classificado recebe uma taça, qualificação e inscrição para o Campeonato Europeu de Pizza, que terá lugar em Abril de 2015, enquanto o terceiro posto é premiado, igualmente, com uma taça e inscrição no Campeonato Português de Pizza 2015. Na categoria de melhor aparência, o primeiro classificado terá acesso directo ao Concurso Mundial da Pizza. Todos os concorrentes têm uma medalha e um certificado de participação.

O I Campeonato Português de Pizza tem também uma vertente solidária, com as receitas provenientes das inscrições a reverterem a favor da ala pediátrica do IPO/Porto.

«Cake Fest» mostra as propostas e técnicas mais criativas de decoração de bolos, na Exponor


O «Cake Fest» vai demonstrar que decorar ou desenhar um bolo pode ser uma verdadeira arte, pelas mãos dos melhores profissionais da área, quer portugueses quer estrangeiros.
De 5 a 7 de setembro, o «Cake Fest» propõe-se enriquecer a oferta para quem trabalha a criatividade na pastelaria, colocando em exposição várias áreas, com destaque para o chocolate, festa – organização, artigos e embalagens - e vestuário de trabalho.
Durante os três dias de realização do evento, milhares de visitantes, público em geral e profissionais terão oportunidade de se inteirarem sobre as últimas novidades em produtos e artefactos, complementadas com a realização de uma série de atividades paralelas, como concursos, demonstrações e workshops, que vão com certeza fazer as delícias de muitos e ajudar a melhorar as técnicas de todos os interessados.
Dos vários workshops que irão decorrer ao longo dos três dias da «Cake Fest», cujo valor da inscrição é bem inferior aos preços habitualmente praticados, destaca-se o «Decoração de Bolos em Papel de Arroz», com a formadora Sandra Amaral; o «Aeorografia – Estruturas do Porto», a ser orientado por Luís Saraiva, e o «Modelagem de Rostos», que tem como formadora Nicole Veloso.
Para as empresas que atuam nesta área, o «Cake Fest» será uma grande oportunidade para apresentarem as suas novidades, promoverem as vendas, desenvolverem promoções de feira e envolverem os visitantes nesta arte, incrementando-lhes o gosto pelo «cake design».

A feira mais doce da Exponor tem as portas abertas de 5 a 7 de setembro entre as 10h00 e as 19h00 e, para lá de bolos que dão vontade de comer só de olhar, também terá em exposição vários materiais e utensílios adequados à confeção e desenho, as melhores matérias-primas e muitas surpresas para todos os participantes.
XXIV edição realiza-se na Exponor de 4 a 7 de Setembro

Ceranor: a feira de referência dos setores
da casa, decoração e brinde está de volta em Setembro

A 24ª edição da Ceranor promete, uma vez mais, ser o grande fórum de encontro entre os setores ligados à fileira casa, brinde e decoração. A acontecer de 4 a 7 de Setembro, a Ceranor é o maior ponto de encontro dos agentes diretamente ligados ao setor, promovendo a troca de experiências, a criação de sinergias e a realização de negócios.
Assumindo-se como a maior feira de homeware portuguesa, a Ceranor é ainda, de acordo com os seus responsáveis, “a plataforma certa para os expositores mostrarem o talento do seu negócio aos visitantes profissionais, tendo por isso fidelizado ao longo destes 24 anos alguns expositores desde as primeiras edições”.
Destinado exclusivamente a profissionais, este certame pretende estar cada vez mais centrado nos visitantes, criando-lhes para tal o cenário ideal para que sejam realizados negócios. Assim, e com esta orientação, a organização vai instalar um espaço lounge, propiciando desta forma um ambiente convidativo à negociação. Um ciclo de iniciativas desenhadas para as diferentes necessidades dos profissionais e o «Exponor Market Place» – uma feira online todo o ano e que destaca as empresas expositoras e os seus produtos - completam o quadro, que se pretende ideal, para que a Ceranor possa representar uma mais-valia económica quer para expositores, quer para visitantes.
Na edição anterior, a feira contou com 11 000 metros quadrados de área expositiva e foi visitada por 12 400 profissionais que, de acordo com um estudo, a maioria deles pretende conhecer as mais recentes colecções e novidades, sobretudo para a época forte, que começa a ser preparada: o Natal.
Resta salientar que entre os expositores contam-se fabricantes, importadores, representantes e criadores. Do lado dos visitantes estão retalhistas de artigos de decoração, lojas de decoração, grandes superfícies, hotéis, restaurantes e similares, decoradores e arquitetos de interiores.

A feira está aberta entre as 10h00 e as 19h00, nos quatro dias em que decorre.

sexta-feira, 11 de julho de 2014

Festa de lançamento a 12 de Julho
"O'Porto Wine Party" para promover
conceito de vinho a copo

- promoção de hábitos correctos nos contextos festivos e de diversão

Na discoteca, no bar ou na praia, no barco ou na marina, a diferentes horas do dia e em várias circunstâncias, vai um copo... de vinho?
Mostrar que a resposta a essa pergunta pode ser invariavelmente positiva e com resultados muito agradáveis é o objectivo do primeiro evento "O'Porto Wine Party" que, já no próximo sábado, 12 de Julho, apresenta na Cidade Invicta um novo conceito de consumo de vinho a copo.
Com a participação de cerca de 40 produtores convidados, que porão em prova cerca de uma centena de vinhos, o “O’Porto Wine Party” inclui um jantar festivo no Espaço Clérigos (Rua das Carmelitas) e um programa cheio de animação com performances ao vivo dos DJs Velvet e Joe Guedes e da cantora/compositora Veronica Larrenne, VIPs, Embaixadores Wine Party (relações públicas), modelos, bem como diversas personalidades.
Este evento inédito visa promover hábitos de consumo correcto, saudável e moderado de vinho em bares, pubs e discotecas, assim como o conceito de "vinho a copo" nas noites de Verão, contribuindo para tornar fashionable o acto de beber vinho em festas, eventos e acontecimentos nocturnos.
No entanto, “não se trata apenas de beber por beber”, como aponta a organização: “Pretende-se sublinhar o gosto de partilhar o vinho com alguém de quem se gosta, ao mesmo tempo que praticamos as atitudes correctas que permitem elevar ao máximo o prazer de degustação”. Exemplos de comportamentos correctos são as temperaturas adequadas a cada tipo de vinho, as quantidades e as circunstâncias em que diferentes vinhos proporcionam melhores experiências.
“Queremos ser pedagógicos e associar ao bom vinho, bem servido, conceitos como festa, moda, gente gira e glamour, para tornar mais fashion o consumo de vinho a copo em diferentes locais e ocasiões”, acrescenta a organização.
A “O’Porto Wine Party” tem em conta a condição de Portugal enquanto produtor de vinhos, alguns dos quais entre os melhores do mundo, para estimular a presença deles em momentos de festa, convívio e partilha entre amigos, aprofundando a evolução que se tem verificado no consumo de vinho a copo em restaurantes e locais de diversão nocturna.
Durante a Wine Party haverá barmen preparados para fazer cocktails vínicos e enriquecer as sensações com um produto tipicamente português.
A entrada no evento, mediante convite através de um Embaixador Wine Party/Relações Públicas, pode ser feita nas seguintes modalidades:
- 40€ = 30€ + 10€ - Dinner + Party
- 10€ - Party
O acesso inclui a oferta de um copo de vidro com decoração alusiva e adequado para vinho, bem como um consumo correspondente a 4 euros.
Localize um seu amigo na lista de Embaixadores Wine Party aqui:
E não se esqueça de partilhar sempre o vinho com alguém de quem gosta!
EMAF: há trinta anos que a principal montra
da indústria nacional se promove na Exponor


A EMAF - Feira Internacional de Máquinas, Equipamentos e Serviços para a Indústria há trinta anos que é o grande momento de exaltação da robustez da indústria nacional, que continua a ter uma importância fulcral na economia portuguesa. Este certame bienal regressa este ano, entre os dias 19 e 22 de novembro, para mostrar tudo o que de melhor se faz no País em termos de inovação industrial e abrir portas às empresas para a celebração de negócios de monta. A longevidade do certame atesta a importância do setor, que tem vindo a saber adaptar-se aos tempos e a reinventar-se para dar respostas às novas necessidades dos mercados e aos crescentes desafios concorrenciais da economia global.
Uma das apostas principais desta XV edição é a captação de compradores internacionais, perspetivando-se um aumento do número e qualidade dos visitantes profissionais estrangeiros, o que está a criar grandes expetativas entre expositores e organização, vislumbrando-se a realização de muitos e bons negócios.
A última edição deste certame, que ocupou cinco pavilhões da Exponor, recebeu a visita de cerca de 36 mil pessoas, entra as quais compradores e decisores estrangeiros. Ao longo destes trinta anos, a feira, que se realiza numa região fortemente industrializada, é assim uma excelente oportunidade para os expositores, boa parte deles com uma forte vertente exportadora, estabelecerem contactos e parcerias com representantes de mercados como a Espanha, o Reino Unido, Brasil, Polónia, Turquia, Bélgica, Alemanha ou Itália, entre outros, que chegam até à feira através de convite da organização.
A organização desta EMAF introduziu algumas novidades, como um conjunto de eventos altamente especializados, o IBS – Segurança, Ambiente, Qualidade e Soluções Empresariais, com as últimas novidades nestas áreas, que cobrem toda a cadeia de produção e distribuição, das componentes às soluções.
A EMAF pretende ser, também, um encontro de reflexão e debate, pelo que a Exponor acolhe iniciativas complementares que promovem o conhecimento e o networking.
Já na sua VII edição, o ‘Concurso de Inovação’, realizado em parceria com a Revista Robótica, volta a atribuir os dois prémios habituais – Inovação Nacional (Leonardo da Vinci) e Inovação Internacional (Nicola Tesla) - às empresas e aos projetos que nos últimos dois anos mais se notabilizaram no desenvolvimento de tecnologias e soluções inovadoras.
Em paralelo com a EMAF, decorrerão também a FIMAP - XVIII Feira Internacional de Máquinas para Trabalhar Madeira e a FERRALIA - XIII Salão de Acessórios e Equipamentos para a Indústria da Madeira.

As mais diversas áreas industriais marcarão assim presença neste certame de referência, desde os plásticos às borrachas, máquinas e ferramentas, manutenção industrial, fundição, logística e transportes, química e laboratórios, robótica e informática aplicadas à indústria. 
Paraíso ambiental da Casa das Pipas proporciona
Verão de descanso total e boa gastronomia no coração do Douro


A monumentalidade da paisagem duriense, os bons vinhos e gastronomia atraem cada vez mais turistas nacionais e estrangeiros até estas paragens. A Casa das Pipas, unidade de enoturismo da Quinta do Portal, é um dos expoentes máximos dessa realidade e criou para este Verão um programa especial que combina todas essas vertentes, proporcionando momentos de descanso e bem-estar que vão fazer desta escapadela à região um momento para mais tarde recordar.

De 15 de Julho a 31 de Agosto, vigora um programa que prevê, à chegada, um welcome drink, uma visita às caves de envelhecimento da autoria do arquitecto Siza Vieira e prova de vinhos. À noite o jantar tem lugar no restaurante da Quinta do Portal, onde o chef Milton Ferreira prepara um menu gourmet assente na comida tradicional portuguesa, acompanhada da excelência dos vinhos da Quinta do Portal.

No segundo dia é servido o pequeno-almoço, para depois usufruir de um passeio de barco pelo Douro, numa altura em que a paisagem já está desenhada e recortada pelos vinhedos. Este programa tem um custo, por casal, de 180 euros. Caso decida prolongar os momentos de lazer por mais um dia, o valor da estadia é de 340 euros, incluindo mais um jantar gourmet.

Com doze quartos, a Casa das Pipas está situada em Sabrosa, entrada do Douro Património Mundial da Humanidade. É com esta realidade que uma casa recuperada feita de xisto e pensada para que o vinho seja uma presença constante, que a sociedade Quinta do Portal convida a uma visita para desfrutar da paisagem e da obra arquitectónica de Siza Vieira, que pode encontrar na Quinta do Portal.


A Casa das Pipas dispõe de todas as comodidades de uma unidade hoteleira moderna, onde se inclui piscina e um pequeno ginásio. A Quinta do Portal tem ainda uma outra unidade de enoturismo, mais pequena, a Casa do Lagar, mas igualmente charmosa e acolhedora. A Casa das Pipas, que viu recentemente ser renovado o prémio «Chave Verde» devido às boas práticas ambientais, já conquistou o prestigiado prémio «Best of Wine Tourism» e o complexo enoturístico da Quinta do Portal foi considerado pela revista Forbes como um dos melhores dez destinos vinhateiros do mundo. 


quinta-feira, 3 de julho de 2014

Mestre pizzaiolo Antonio Mezzero, da pizzeria Pulcinella, é o impulsionador do evento, cujas receitas de inscrição revertem a favor da ala pediátrica do IPO/Porto

I Campeonato Português de Pizza
realiza-se no Porto a 21 de Julho

Dia 21 de Julho, quinhentas originais e saborosas pizzas vão sair dos fornos dos mais conceituados pizzaiolos nacionais na Praça D. João I, no Porto. Realiza-se o I Campeonato Português de Pizza, com cerca de vinte pizzaiolos de pizzerias nacionais a mostrarem as suas técnicas e métodos de produção da mais conhecida iguaria italiana, que tem já um carácter universal. Durante praticamente todo o dia, num evento de acesso livre, quem passar por este local nobre da cidade pode assistir à confecção ao vivo das melhores pizzas de cada uma das pizzerias seleccionadas.

Antonio Mezzero, napolitano de gema, mas residente em Portugal há seis anos, é o dono da prestigiada Pizzeria Pulcinella, em Matosinhos, e coloca uma grande paixão, amor e profissionalismo em tudo o que faz na pizzeria, o que já mereceu a elevação à categoria de «Embaixador da Pizza Napolitana em Portugal». A sua reputação e paixão levaram-no a participar, em nome de Portugal, em campeonatos europeus da especialidade, alcançando o quarto lugar, o que lhe valeu acesso directo à final do torneio e uma entrada directa no campeonato do mundo.

A sua primeira experiência em acções de grande escala pública teve lugar aquando da celebração dos 250 anos da Torre dos Clérigos, altura em que produziu uma pizza gigante, com cinco metros de diâmetro. Mas quis ir mais longe, e agora empreende o I Campeonato Português de Pizza, que vai encher a Praça D. João I com os pizzaiolos das melhores vinte pizzerias portuguesas a serem avaliados por um júri de renome internacional, entre os quais se contam representantes da organização dos campeonatos europeu e dos dois mundiais. Nomes conceituados estão convidados para o evento, como Giorgio Damasio, Augusto Gemelli, Carmine Basile, Leone Copolla, Giovanni, Hélio Loureiro, Pedro Lemos ou Ruy Leão, para verem e avaliarem as pizzas a concurso em duas categorias: as pizzas mais saborosas e as pizzas com melhor aparência.

Pelas 10h30 tem lugar a apresentação dos participantes, sendo os primeiros chamados a mostrar os seus dotes meia-hora depois. De premeio, tem lugar um show de pizza acrobática, que se repete no final das provas. O torneio termina pelas 18h00, altura em que o júri reunirá para apurar os resultados, dando-se a entrega de prémios meia hora mais tarde. O primeiro classificado recebe uma taça, qualificação e Inscrição para participar no concurso Mundial de Pizzaiolo, que se realizará em Setembro. O segundo classificado recebe uma taça, qualificação e inscrição para o Campeonato Europeu de Pizza, enquanto o terceiro posto é premiado, igualmente, com uma taça e inscrição no Campeonato Português de Pizza 2015. As demonstrações de pizza acrobática têm a presença confirmada do tricampeão do mundo da especialidade, Paulino Bucca e do campeão do mundo Leone Copolla.


O I Campeonato Português de Pizza tem também uma vertente solidária, com as receitas provenientes das inscrições a reverterem a favor da ala pediátrica do IPO/Porto.



terça-feira, 1 de julho de 2014

Vinhos da Quinta do Quetzal conquistam júri
do prestigiado Ultimate Wine Challenge 2014 nos EUA


Os vinhos da Quinta do Quetzal continuam a conquistar os sentidos dos apreciadores mais exigentes. Desta vez, num dos maiores e mais prestigiados concursos internacionais de vinhos – o Ultimate Wine Challenge -, três dos vinhos deste produtor vinícola alentejano receberam pontuações altíssimas, com destaque para o Quinta do Quetzal Reserva Tinto 2010, que foi classificado com 95 pontos, entre muitas centenas de vinhos em prova de várias regiões vitivinícolas de todos os cantos do mundo. A distinta pontuação mereceu as classificações de «Finalist, Extraordinary, Ultimate Recomendation».
Um júri de renome deste concurso, realizado em Nova Iorque, escreve nas notas de prova que o Quinta do Quetzal Reserva Tinto 2010 tem uma cor profunda, vermelho rubi e que no nariz é simplesmente maravilhoso, pois apresenta camadas de framboesa maduras e ameixa preta suportada por notas de cacau e baunilha. Tem estilo e charme em abundância. O vinho vai poder agora chegar ao mercado ostentando no rótulo o feito alcançado neste concurso.

93 pontos para o Guadalupe
Wimemakers Selection Tinto 2010
Outros vinhos deste produtor sediado na Vidigueira mereceram notas de realce neste concurso. O Guadalupe Winemakers Selection Tinto 2010 foi classificado com 93 pontos. Um vinho com uma cor quase negra, opaca, intensamente frutado, onde se destacam as passas e a ameixa. Os jurados falam mesmo de que o seu sabor intenso espalha quase que uma fragância a chá, que juntamente com a textura acetinada do néctar completa uma experiência extraordinária. «Finalist, Excelent Highly Recomended».

Guadalupe Tinto 2011 também
«finalista» e «altamente recomendado»

Também o Guadalupe Tinto 2011, vinho de entrada de gama, conquistou o painel de provadores, constituído por somelliers, escanções e jornalistas da especialidade. Foi classificado com 93 pontos e mereceu as insígnias de «Finalist, Excelent Highly Recomended».
O Guadalupe Tinto 2011 é um vinho de cor bordeaux forte, apresenta-se concentrado, com notas de frutos secos e madeira. Com moderada presença de taninos, baga seca e generoso, pode ser bebido já ou deixar amadurecer em garrafa.

O projecto da «Quinta do Quetzal» nasce da paixão do casal Holandês Inge e Cees de Bruin por Portugal e pela Região Sul do País. Depois de quase trinta anos de ligação a Portugal, decidiram em 2002 avançar com um projecto vinícola, começando a rentabilizar a «Quinta do Quetzal», com 35 hectares de vinha localizados na freguesia de Vila de Frades, Vidigueira. Todo o processo de vinificação decorre num circuito que se inicia no topo da adega e termina na cave, aproveitando o efeito da gravidade, sem recurso a bombas mecânicas, mantendo a tradição e a ligação à história vitivinícola alentejana.