Número total de visualizações de página

quarta-feira, 19 de março de 2014

EMAF, a grande feira da indústria, regressa em Novembro
à Exponor e é já um sucesso em termos comercias


A EMAF - Feira Internacional de Máquinas, Equipamentos e Serviços para a Indústria -, regressa em Novembro à Exponor. Um certame bienal que é o grande palco para a apresentação das últimas novidades e produtos do mundo da indústria. A organização tem já confirmada a presença de mais de uma centena de expositores, com pouco mais de um mês de comercialização e a oito meses de distância da feira, o que pode ser traduzido como um forte indicador do “crescimento e bom desempenho da indústria no nosso País”.
Ainda de acordo com a organização desta XV edição da EMAF, que este ano se realiza entre os dias 19 e 22 de Novembro, uma das apostas principais é a captação de compradores internacionais, perspetivando-se um aumento do número e qualidade dos visitantes profissionais estrangeiros. Aliás, a expectativa da organização é grande para esta edição EMAF.
A última edição deste certame, que ocupou cinco pavilhões da Exponor, recebeu a visita de cerca de 36 mil pessoas, entra as quais compradores e decisores estrangeiros, o que permitiu a realização de muitos e bons negócios. A feira é assim uma excelente oportunidade para os expositores, boa parte deles com uma forte vertente exportadora, estabelecerem contactos e parcerias com representantes de mercados como a Espanha, o Reino Unido, Brasil, Polónia, Turquia, Bélgica, Alemanha ou Itália, entre outros, que chegam até à feira através de convite da organização.
Ainda do ponto de vista de realização de negócio, será criado um ‘Espaço de Subcontratação’, que tem como objetivo destacar a oferta nacional nesta área, apresentando uma oferta integrada aos compradores, o que potencia a criação de oportunidades de negócios.
Novidade, na edição deste ano, é a introdução de um conjunto de eventos altamente especializados, o IBS – Segurança, Ambiente, Qualidade e Soluções Empresariais, com as últimas novidades nestas áreas, que cobrem toda a cadeia de produção e distribuição, das componentes às soluções.
A EMAF pretende ser, também, um encontro de reflexão e debate, pelo que a Exponor acolhe iniciativas complementares que promovem o conhecimento e o networking.
Atenta à capacidade inovadora das empresas, a EMAF volta a promover o ‘Concurso de Inovação’, já na sua VII edição, premiando as empresas e os projetos que nos últimos dois anos mais se notabilizaram no desenvolvimento de tecnologias e soluções inovadoras, assim como no processo produtivo nacional. Serão atribuídos o ‘Prémio Leonardo Da Vinci’ (inovação nacional) e o ‘Prémio Nicola Tescla’ (inovação internacional).
Em paralelo com a EMAF decorrerão também a FIMAP- XVIII Feira Internacional de Máquinas para Trabalhar Madeira, e a FERRALIA, XIII Salão de Acessórios e Equipamentos para a Indústria da Madeira.

As mais diversas áreas industriais marcarão assim presença neste certame de referência, desde os plásticos às borrachas, máquinas e ferramentas, manutenção industrial, fundição, logística e transportes, química e laboratórios, robótica e informática aplicadas à indústria. 
Helder Guimarães, nomeado
para «Mágico de Close-up do Ano»

O mágico português Helder Guimarães está nomeado pela Academia de Artes Mágicas de Hollywood para «Mágico de Close-up do Ano». Depois de ter vencido, por dois anos consecutivos, o prémio de «Melhor Mágico do Ano», o artista portuense consta agora da short list de possíveis vencedores de um outro prestigiado prémio que a referida academia promove: trata-se do título de «Mágico de Close-up do Ano», que será atribuído numa cerimónia a ter lugar dia 13 de Abril, em Hollywood, nos Estados Unidos da América.
Helder Guimarães foi, em 2011 e 2012, «Mágico do Ano» e, para isso, muito contribuiu o espectáculo «Nothing to Hide», que teve as temporadas de exibição alargadas por várias vezes, com sucessivos sucessos de bilheteira, quer em Los Angeles, quer em Nova Iorque.
Com apenas trinta e um anos de idade, o mágico português, que actualmente vive em Los Angeles, tem recebido rasgados elogios da crítica especializada norte-americana e os seus espectáculos são assistidos por figuras célebres como Woody Allen, Eva Mendes, Maria Sharapova, Barbara Streisand, Steve Martin, Aziz Ansari, Ryan Gosling, JJ Abrahams, Zack Galafinakis, Jimmy Kimmel, Aimee Mann, Brooke Shields, Jason Sudeikis, Ed Sheeran ou Elizabeth Hurley
Participação na conferência TED
Helder Guimarães será, no próximo dia 19 de Março, o primeiro artista português a participar numa conferência internacional TED, depois de um outro português, o neurocientista António Damásio, ter participado em 2011.

O mágico portuense vai integrar, em Vancouver (Canadá), o painel de convidados desta conferência internacional, evento que durante as últimas três décadas tem ganho grande notoriedade mundial. O mote para o convite surgiu com o já referido espectáculo «Nothing to Hide». “O organizador do evento viu o espectáculo e achou que me devia contactar para participar, o que me deixou naturalmente orgulhoso”, disse Helder Guimarães. O conceito das conferências TED nasceu com Richard Saul Wuman, que decidiu convidar todos os anos personalidades distintas para abordar e divulgar ideias nas áreas da Tecnologia, Entretenimento e Design (TED).
O desafio proposto a Helder Guimarães foi o mesmo que já tinha sido apresentado aos intervenientes do universo TED ao longo dos anos: falar das suas ideias e experiências em pouco mais de 18 minutos. O mágico português foi desde sempre uma pessoa interessada nas referidas conferências, que classifica como sendo um local ideal para “partilhar ideias com milhões de pessoas”. 
Expocosmética aposta no comércio eletrónico
para impulsionar os negócios

Alavancar um setor que vale já 900 milhões de euros e regista um crescimento médio anual de 3% é o objetivo do portal de comércio eletrónico a lançar pela Expocosmética - Feira Internacional de Cosmética, Estética e Cabelo, que se realiza na Exponor, entre 10 e 12 de maio, e traz também como novidade a organização de um congresso científico direcionado para os profissionais.
Numa altura em que, de acordo com um estudo da «Sigma – Team Consulting», as compras online representam já 49 mil milhões de euros em Portugal, o que corresponde a 31% do PIB nacional, a maior feira ibérica de cosmética avança com esta nova aposta de modo a reforçar-se enquanto evento representativo do setor e parceiro efetivo das 30 mil empresas da respetiva cadeia de valor. O estímulo a novos negócios através das plataformas tecnológicas de comunicação terá impacto no robustecimento do tecido económico português, na medida em que contribuirá para a consolidação de uma fileira que assegura quase 53 mil postos de trabalho, geradores de um volume de negócios de 2 mil milhões de euros e de um VAB de quase 600 milhões de euros.
A esta estratégia junta-se a realização do 1º Congresso Cientifico de Estética, integrado na Expocosmética, onde serão debatidas as últimas novidades terapêuticas e tecnológicas nos diversos domínios em que atuam os profissionais do setor.
A feira, que cresce desta vez até aos 7 mil e 500 metros quadrados de exposição, está decidida a impulsionar o reforço das empresas do setor, o qual está em crescimento e apresenta uma balança comercial com evolução muito favorável do lado das exportações. Com efeito, sendo predominantemente constituído por salões de cabeleireiro e institutos de beleza (91% das empresas, 78% do emprego e 43% do VAB), o setor deve mais de metade das vendas de produtos de cosmética aos mercados externos, o que denota uma vincada orientação exportadora.
Entre 2004 e 2012, as exportações de cosméticos com origem em Portugal assinalaram um crescimento médio anual de 11% (as importações caíram 4%), sobretudo para Espanha, Angola e Reino Unido. Existem ainda oportunidades em mercados tão díspares como a Rússia, a Irlanda, o Japão e o México, todos eles países onde as nossas exportações exibiram taxas de crescimento médio anual superiores a 100% no mesmo período.
Holanda e Polónia constituem também mercados em que as nossas exportações já gozam de alguma representatividade e para onde as exportações crescem a um ritmo da ordem dos 50%/ano.
Além disso, estão sinalizados potenciais de negócio nos mercados da Europa Ocidental, América do Norte e Japão, sendo de destacar a crescente procura na Rússia, China, Hong Kong, Singapura, Brasil, Macau, Índia, Argentina, Indonésia, Chile, Colômbia, Equador, Ucrânia, Cazaquistão, Peru e Tailândia, entre outros.