Número total de visualizações de página

segunda-feira, 29 de junho de 2015

Portal Verdelho & Sauvignon Blanc arrecada
medalha de prata em concurso mundial



O Portal Verdelho & Sauvignon Blanc 2014 foi premiado com uma medalha de prata no VI Concurso Mundial de Sauvignon, que teve lugar em Veneza, Itália, sendo que só três vinhos portugueses foram medalhados.

É internacionalmente reconhecido pela comunidade ligada ao vinho que esta casta está a ganhar terreno junto dos consumidores e que muito ainda há a explorar das suas potencialidades. 

A equipa de enologia da Quinta do Portal, atenta às tendências de mercado, lançou em 2013 o Portal Verdelho & Sauvignon Blanc. Um branco diferente daquilo que é habitual na Quinta do Portal, casando harmoniosamente duas castas que dão contributos distintos à composição do vinho: a verdelho acidez e mineralidade e a sauvignon blanc uma excelência aromática extremamente limpa, frutada e floral. Este prémio, num concurso internacional de prestígio, vem validar esta aposta e demonstrar que a Quinta do Portal está na vanguarda do trabalho com esta varietal.

O Portal Verdelho & Sauvignon Blanc foi produzido a pensar no mercado nacional, mas também muito na exportação, porque o facto de as castas terem um reconhecimento internacional potencia uma primeira abordagem aos nectares do produtor, levando o consumidor a tentar descobrir todos os vinhos da Quinta do Portal

O concurso, que premiou também o produtor alentejano Cortes de Cima e o produtor algarvio Malaca, tem o objetivo de promover os vinhos feitos a partir da sauvignon, aumentando a sensibilização para a vasta gama de vinhos sauvignon blanc em todo o mundo e fornecer uma sugestão para os consumidores no ponto de venda. Foi criado um comité de direcção composto por sete membros da indústria de vinho, cujo objetivo é construir uma base de dados de informações fornecendo literatura dedicada para a indústria e os consumidores. 

A Quinta do Portal, que fica localizada na Região Demarcada do Douro, mais precisamente em Celeirós do Douro, no vale do rio Pinhão, dedica-se à produção de vinhos DOC Douro, vinhos do Porto de categorias especiais e Moscatel do Douro, tendo sido distinguida pela Wine & Spirits como uma dos 100 top Winery of the World. Possui, ainda, um complexo enoturístico constituída por duas unidades hoteleiras de charme, a Casa das Pipas e a Casa do Lagar e um armazém de envelhecimento de vinhos desenhado pelo arquitecto Siza Vieira. Aos seus visitantes, disponibiliza também uma sala de visitas para provas e um restaurante gourmet que privilegia a cozinha tradicional portuguesa, com a cozinha a ser comandada pelo chef Milton Ferreira. 

A revista Forbes elegeu a Quinta do Portal como um dos melhores dez destinos enoturísticos do mundo e este produtor já foi, igualmente, distinguido com o Best of Wine Tourism, provas claras da marca de qualidade associada à empresa.



sexta-feira, 19 de junho de 2015

Quinta do Portal e Cerveja LETRA criam 

cerveja maturada em cascos de vinho do Porto



O projecto de criação de uma cerveja maturada em cascos de vinho do Porto é apresentado esta sexta-feira, dia 19 de Junho, fruto de uma parceria entre a cervejeira minhota  LETRA e o produtor vinícola do Douro Quinta do Portal.
A apresentação realiza-se em Vila Verde, Braga, e acontece no dia em que a Cerveja LETRA inaugura a «Letraria», o primeiro BrewPub português dedicado à degustação cervejeira e onde é possível interagir com todo o processo de fabrico artesanal, com visitas guiadas pelos próprios cervejeiros. 
A cerveja LETRA  e a Quinta do Portal têm uma filosofia de posicionamento inovador no mercado, sempre na busca de novos produtos e novos sabores que respondam às necessidades de um público cada vez mais virado para o que é diferente. É assim que nasce a ideia de fazer uma cerveja de segmento diferenciado, conjugando o espírito empreendedor de uma empresa produtora de cervejas artesanais e um produtor vinícola. Este último tem vindo a obter excelentes resultados com o lançamento de referências diferenciadas. O exemplo mais recente é o Portal Black Pur, um vinho concebido para evocar as invasões francesas e produzido com castas que não são aquelas que tradicionalmente compõem os vinhos do Douro, a Malbec e a Cabernet Sauvignou. A senda inovadora da Quinta do Portal é também visível com a criação do Portal Femina, o primeiro DOC doce do Douro, um vinho especialmente direcionado para um público jovem e feminino. Outro dos néctares produzidos pelo Portal e que foge aos tradicionais padrões do perfil de vinhos do Douro é o Portal Verdelho & Sauvignon Blanc. Também ele com castas que não são características daquela região.
Esta vertente diferenciadora da Quinta do Portal está ainda patente no ramo de negócio ligado ao enoturismo, com natural destaque para o armazém de envelhecimento de vinhos desenhado por Siza Vieira, uma obra arquitectónica de grande envergadura, mas também para o hotel vínico de charme: a Casa das Pipas. Dois «trunfos» da Quinta do Portal que têm valido vários prémios e distinções internacionais.



terça-feira, 16 de junho de 2015

Vinte e cinco pizzaiolos disputam 
II Campeonato Português de Pizza no Porto


O segredo está…o segredo está com os 25 pizzaiolos de algumas das melhores pizzerias nacionais, que no dia 20 de Julho vão submeter o resultado do seu trabalho ao julgamento de um conjunto reputado de chefs de cozinha, no II Campeonato Português de Pizza. Promovido no Jardim dos Clérigos pelo conceituado mestre pizzaiolo Antonio Mezzero, embaixador da Pizza Napolitana em Portugal, o evento inclui um show de pizza acrobática em que participam o tricampeão mundial da modalidade Paolino Bucca e o campeão mundial Leone Coppola.

O II Campeonato Português de Pizza, que começa pelas 16h00 e se prolonga até cerca das 20h00, é um espectáculo em si, pois as pizzas serão confeccionadas ao vivo e logo avaliadas por um júri de prestígio internacional, o que confere ainda mais credibilidade ao evento. A responsabilidade cabe desta vez a Augusto Gemelli, Hélio Loureiro, José Avillez, Leone Coppola, Marco Gomes e Pedro Lemos, que avaliarão as pizzas a concurso em duas categorias: as pizzas mais saborosas e as pizzas com melhor aparência.

O primeiro classificado recebe uma taça, qualificação e inscrição para participar no Concurso Mundial de Pizza. O segundo classificado recebe uma taça, qualificação e inscrição para o Campeonato Europeu de Pizza.

Este evento público vai realizar-se na zona da Baixa do Porto, no Jardim dos Clérigos, com toda uma envolvente prazerosa e um movimento turístico que constroem o cenário ideal para a promoção da pizza e das pizzerias nacionais, no fundo o grande mote desta iniciativa.

Além de ver os chefs em acção e a cozinhar ao vivo, quem passar por este local nobre da cidade tem também oportunidade de assistir a um Show de Pizza Acrobática, demonstração que arranca habitualmente grandes aplausos do público e que será protagonizada por dois dos maiores peritos na actividade.

O II Campeonato Português de Pizza, o maior do género realizado no nosso país, tem como grande impulsionador o napolitano Antonio Mezzero, radicado entre nós desde há sete anos e dono da prestigiada pizzeria Pulcinella, em Matosinhos. Como primeiro Embaixador da Pizza Napolitana na Europa e terceiro no Mundo, Antonio Mezzero é um grande entusiasta na divulgação das potencialidades deste prato italiano e tem até uma marca própria com os ingredientes de qualidade superior e produtos D.O.P. que permitem confeccionar a verdadeira pizza. A sua primeira grande acção pública de divulgação da pizza ocorreu em 2013, com a produção de uma mega-pizza de cinco metros de diâmetro para assinalar os 250 anos da Torre dos Clérigos.

Com a passagem nesta etapa portuguesa a ser obrigatória para obter classificação de acesso ao Campeonato Mundial da Pizza, que se realiza anualmente em Parma, e ao Campeonato Mundial de Pizzaiolo, que decorre todos os anos em Nápoles, é de recordar que os vencedores das duas categorias na competição portuguesa do ano passado conseguiram depois classificar-se entre os 100 melhores nos concursos internacionais, os quais registaram mais de 800 participantes cada.

O Campeonato Português de Pizza, cuja primeira edição atraiu milhares de pessoas à Praça de D. João I, em 2014, tem também uma vertente solidária, com as receitas provenientes das inscrições a reverterem a favor do Instituto Profissional do Terço, uma IPSS dedicada a crianças e jovens em risco.

Desigual Living chega a Portugal e abre primeiro showroom no Porto



‘Desigual Living’ é o novo conceito de produtos para o lar divertido e irreverente que a conhecida marca Desigual inaugura em Portugal, a 26 de Junho, apostando em trazer mais cor e diversão aos lares portugueses.

O primeiro showroom Desigual Living situado na Rua de Cedofeita, no número 376, coração da nova ‘baixa’ portuense e centro da vida cultural, chega ao nosso país pela mão da Nosolid, empresa portuguesa de mobiliário moderno que assume a distribuição retalhista do segmento a nível nacional. 

Conhecida pelo vestuário alegre e irreverente, a Desigual Living alia agora esse mesmo espírito ao sector ‘home & decor’, onde se incluem acessórios de decoração e vestuário que vão das roupas de cama e pijamas coloridos aos roupões e toalhas de banho, passando pelas mantas e almofadas de sala ou pelos aventais e toalhas de mesa e, ainda, toalhas de praia e acessórios de piscina. Sempre com cores alegres e padrões festivos. 

“Desigual no es lo mismo”: 

Este foi o primeiro slogan da marca e corresponde também a esta nova gama de produtos com a qual uma casa ficará completamente Desigual, aponta Vasco Carvalho, responsável da Desigual Living by Nosolid. 

O showroom Desigual Living by Nosolid, para além da área aberta ao público em geral, inclui um espaço especialmente pensado para o cliente profissional que pode ali conhecer ao pormenor toda a colecção, assim como a estratégia da marca, estabelecendo as bases do negócio. Também o cliente de retalho, interessado em revender os produtos da Desigual Living, terá um espaço tranquilo e uma equipa capaz de prestar todo o apoio e aconselhamento.

Caracterizada pela sua postura irreverente e de propostas ‘fora da caixa’ em termos de vestuário, a Desigual, com oito pontos de venda no nosso País, nasceu em 1984 da criatividade do suíço Thomas Meyer, que cedo pôs as pessoas a vestirem de maneira diferente, com roupas que ajudavam a gerar sentimentos positivos e a preços acessíveis.

Desde cedo bem aceite pelos consumidores, a marca tem registado um crescimento anual sustentado superior a 50% e faz da visita a qualquer dos seus mais de 8900 pontos de venda em 72 países uma experiência positiva que estimula os sentidos. A sua estratégia passa por contagiar os próprios funcionários e colaboradores com a ideia de que diversão e negócio não são apenas compatíveis e complementares, mas também necessários. Emana, por isso, positivismo, compromisso, tolerância, melhoria constante, inovação e diversão, atitudes essas que se alargam agora ao ambiente de casa com a nova aposta ‘Desigual Living by Nosolid’ no Porto, onde «tudo é Desigual, tudo é singular».

sexta-feira, 5 de junho de 2015

Quinta do Portal declara 2013 ano vintage



É com enorme prazer que a Quinta do Portal apresenta o seu Quinta dos Muros Porto Vintage 2013!

Trata-se do primeiro lançamento de um Vintage oriundo da Quinta dos Muros, o que traduz a mais alta classificação possível para a produção com o fruto desta propriedade. Representa também um regresso à essência original da quinta e ao pulsar fecundo da terra-mãe, numa oportunidade de coligir o tempo passado e presente numa garrafa que o futuro desvendará. 

Englobada nos territórios produtores da Quinta do Portal, a Quinta dos Muros situa-se no Vale do Rio Pinhão e ocupa uma área de 41,19 hectares, sendo 29,57 hectares de vinha plantada em socalcos e patamares. Está na posse da família Mansilha desde finais do século XIX e sobre ela, em 1881, Francisco D’ Araújo Mansilha declarou que “Quem souber tratar os vinhos dos ‘Muros’ irá convencer-se, por exames e comparações que faça, que os não há melhores no nosso país”.

Chegados à colheita de 2013, este Portal Quinta dos Muros Porto Vintage 2013 vem confirmar a razão que sempre acompanhou a propriedade.

O ano agrícola foi caracterizado por um Inverno muito chuvoso e frio, salientando-se a queda de neve ocorrida em Fevereiro a cotas relativamente baixas e o facto de o mês de Março ter sido o segundo mais chuvoso dos últimos 50 anos.

Com abrolhamento na última semana de Março, iniciou-se o ciclo de uma forma lenta, devido às contínuas temperaturas baixas. 

Já o verão revelou-se bastante quente e seco. Assim, e após uma boa floração e vingamento, a vinha ressentiu-se no final do mês de Agosto com a falta de água disponível, sobretudo nas vinhas de menor altitude. 

Ainda assim, registaram-se maturações homogéneas e equilibradas, fornecendo uvas muito bem amadurecidas. Estavam criadas as bases para um excelente Vintage e as boas condições continuaram com a quase total ausência de chuva durante a vindima.

A produção estimada do Portal Quinta dos Muros Porto Vintage 2013 é de 14 250 garrafas, mais 60 magnuns e 600 meias garrafas.

É de sublinhar que a declaração ‘vintage’ constitui a classificação mais alta que pode ser atribuída a um vinho do Porto. Considera-se ‘vintage’ o vinho do Porto obtido da colheita de um só ano, e é uma denominação atribuída apenas em anos considerados de excepcional qualidade («ano vintage»). Este topo de gama dos vinhos do Porto é o único que amadurece em garrafa, onde entra dois a três anos após a vindima, evoluindo gradual e favoravelmente durante 10 a 50 anos. O Porto Vintage é atractivo em praticamente todas as fases da sua vida em garrafa. 



Rádio Popular agora é RP e tem a cara de João Manzarra


A Rádio Popular é agora RP e conta com o apresentador João Manzarra como «cara» deste rebranding da marca. Um dos mais jovens e irreverentes profissionais da televisão nacional associa-se à mudança desta empresa de retalho de tecnologia, que rejuvenesce assim a sua imagem, adoptando a marca RP, encaixando João Manzarra na perfeição dentro do novo registo que a marca quer transmitir, isto é, jovem, irreverente, colorida, moderna e enérgica. 

A história da Rádio Popular, com 38 anos, caracteriza-se pela constante inovação e postura ousada no mercado. Iniciada com uma pequena mas icónica loja numa rua antiga do Porto, a marca tornou-se referência nacional no campo do som e imagem, electrodomésticos, informática, entretenimento, fotografia e muitas mais áreas, contando actualmente com 36 lojas em todo o País.

Esta empresa 100% nacional fez questão de acompanhar os tempos e manter-se na vanguarda, inovando desde quando existiam somente dois canais de televisão a preto e branco e a Internet estava no domínio da ficção científica até aos dias de hoje. Pelo caminho, a RP abriu a primeira grande superfície de tecnologia e tornou-se pioneira no comércio online.

A escolha de João Manzarra para dar cara à nova etapa da marca e espelhar a sua imagem de empresa de referência no comércio de tecnologia surge assim como uma aposta lógica e seguramente vencedora.

quinta-feira, 4 de junho de 2015

PSD reúne especialistas no Porto
para debater «Política de Saúde»


Vários elementos do PSD ligados ao setor da saúde e personalidades independentes vão debater, no próximo dia 6 de Junho, no Porto, «Política de Saúde», abordando todas as questões prementes que envolvem o futuro da saúde em Portugal, numa organização dos Trabalhadores Sociais Democratas.

O período de conferência/debate será dominado por duas figuras sobejamente conhecedoras do setor em Portugal: Rui Nunes, professor catedrático da Faculdade de Medicina do Porto e primeiro presidente da Entidade Reguladora da Saúde, e Regina Bastos, ex-secretária de Estado da Saúde. 

A sustentabilidade do Serviço Nacional de Saúde, a sua interligação com os serviços privados, a necessidade de maior regulação ou os desafios da gestão hospitalar serão temas a abordar neste encontro que tem lugar na Fundação Cupertino de Miranda e que contará, no arranque dos trabalhos, com a presença de Marco António Costa, vice-presidente e coordenador do PSD.

A estrutura do PSD no Porto procura assim junto do seus especialistas preparar as propostas legislativas a apresentar para este sector, perspectivando o futuro com políticas que permitam a sustentabilidade do sistema público de saúde.

Médicos, enfermeiros, psicólogos, administradores hospitalares, ex-bastonários e técnicos superiores de saúde fazem parte do painel de comentadores convidados, antevendo-se um debate vivo e enriquecedor sobre um dos pilares fundamentais do Estado Social.

Os trabalhos iniciam-se às 09h30 e têm o seu término agendado para as 13h00.

Quinta do Portal lança Black Pur, vinho exclusivo
inspirado nas invasões francesas
- bravura do Douro associada às castas Malbec e Cabernet Sauvignon


Um vinho épico que evoca um episódio das invasões francesas. A Quinta da Portal lançou uma edição especial limitada de um vinho diferente e ousado, especialmente concebido a pensar nos verdadeiros apreciadores e colecionadores. 
A apresentação à comunidade enófila teve lugar na secular Livraria Lello & Irmão, no Porto, onde os wine lovers tiveram a oportunidade de provar o “Black Pur 2012”, um produto diferente daquilo que o Douro e a Quinta do Portal costumam fazer, mas que atesta o que de bom o campo de ensaios do enólogo Paulo Coutinho tem vindo a colocar no mercado. Num ambiente intimista, este néctar foi servido com poesia evocativa ao vinho, numa simbiose que conquistou todos os presentes. 
O vinho recorre a duas castas não tradicionais do Douro, que raramente são usadas em consonância, mas que gozam de muitos adeptos a nível mundial: Malbec e Cabernet Sauvignon. Duas variedades francesas para compor um vinho que vai beber o seu nome a um episódio histórico em que o famoso general Louis-Henri Loison provou um poderoso vinho do Douro. Extasiado, chamou-lhe “Black Pur” e disse só temer aquele vinho. E tinha razões para isso, de tal forma ficou encantado com a prova que baixou a guarda, o que terá contribuído para ser derrotado pelas tropas e milícias lusas.
É essa capacidade de sedução, esse poder, que a Quinta do Portal tenta transportar para o “Black Pur 2012”, com uma base de Malbec (67%), muito usada nos melhores vinhos do mundo, incluindo chilenos e argentinos, a que Paulo Coutinho associa a Cabernet Sauvigon (33%), originária da que é tida como “a rainha das uvas tintas”.
De edição limitada a 999 garrafas, este é um vinho de cor negro-violeta, mostra um nariz de flores bem secas e aromas de fruto preto com groselha e cereja. Na boca, revela uma irrepreensível frescura com correcta acidez (5,6 g/l), estruturado e de elegante volume. Presta-se a ser bebido com grande prazer, pois o seu final é fresco, guloso mesmo. O “Black Pur 2012” resulta de uma vindima manual com uvas que foram maceradas em pequenos lagares, após o que ocorreu um envelhecimento de cinco meses em cascos de carvalho usados. O engarrafamento ocorreu em Dezembro de 2014, com rolha de cortiça natural.
Sendo um vinho jovem, pode ser saboreado em copo de vinho branco, para se perceber toda a sua exuberância aromática, ou num copo mais aberto que permite sentir a sua complexidade.
Ideal para acompanhar carnes vermelhas ou peixes gordos, este vinho está dirigido a verdadeiros conhecedores e estará disponível por um pvp de 30 euros/garrafa em garrafeiras selecionadas. 



Chef com mais estrelas Michelin no mundo
selecciona vinhos da Quinta da Pacheca



O Chef Joël Robuchon, profissional com maior número de estrelas Michelin no mundo, seleccionou dois dos vinhos durienses produzidos pela Quinta da Pacheca para enriquecer a carta do seu restaurante mais conhecido em Paris e oferecer um maior leque de opções na harmonização com os pratos ‘gourmet’.
O "L' Atelier de Joël Robuchon" na capital francesa vai passar a servir o "Pacheca Grande Reserva Touriga Nacional 2011", um tinto de aroma muito austero, com fruto maduro mas conservando frescura, com muito bom corpo, tanino firme e sólido, estilo forte e vigoroso mas sem perder a finura, características que irão valorizar o equilíbrio de uma das ementas parisienses mais procuradas.
Tendo em conta a importância de um excelente vinho para acompanhar uma refeição, o famoso Chef, que é conhecido pela suprema exigência implementada nos seus quase 30 restaurantes espalhados pelo globo, dedica à carta de vinhos meticulosa selecção idêntica à dos ingredientes utilizados na cozinha. Decidiu, por isso, passar a disponibilizar também o "Pacheca Porto Tawny 30 Anos", resultante de um lote de vários vinhos do Porto envelhecidos em cascos de carvalho ao longo de muitos anos. Este vinho apresenta-se com um nariz elegante, combinando aromas de frutos secos e complexas notas de chocolate, caramelo amanteigado e madeira fina de carvalho, e pode ser bebido refrescado como aperitivo ou no fim da refeição, acompanhando queijos ou sobremesas de chocolate negro ou frutos vermelhos.
Já com forte presença nos mercados externos, os vinhos Quinta da Pacheca conseguem com este reconhecimento de qualidade mais um atestado de nível internacional com a assinatura de um chef com a projecção de Joël Robuchon: trata-se do detentor do maior número de estrelas Michelin em todo o mundo, num total de 28, das quais nove conquistadas num mesmo ano. 
Joël Robuchon, que aos 15 anos abandonou o seminário para se iniciar como aprendiz de cozinha no "Relais de Poitiers", construiu uma carreira dedicada à culinária, que inclui vários programas pioneiros na televisão francesa e um império de restaurantes, bares e casas de tapas em diferentes continentes. Aos 16 anos, participou pela primeira vez numa competição de cozinha e ganhou o primeiro prémio. Aos 29, comandava os 90 cozinheiros do hotel Concorde-Lafayette, em Paris, e no ano seguinte conquistava a sua primeira estrela Michelin. No ano seguinte, somou-lhe outra e no outro mais outra, algo nunca sucedido até então. Em 1981, abriu o seu próprio restaurante em Paris, o "Le Jamin", e oito anos passados foi considerado "Chef do século". Em 1994, abriu um restaurante com o seu próprio nome, que no mesmo ano foi eleito melhor restaurante do mundo pelo «International Herald Tribune».
O conceito/marca "Atelier Joël Robuchon", a que agora se associam os vinhos Quinta da Pacheca, reúne inspirações como o sushi ou as tapas e foi lançado em 2003, tendo começado com um restaurante em Paris e outro em Tóquio, mas está hoje presente em todo o mundo. O "Chef dos chefs" tem estabelecimentos de Singapura a Las Vegas, passando pelo Mónaco, Nova Iorque, Hong Kong, Macau e Londres, entre os quais três restaurantes com três estrelas Michelin. Em 2014, abriu um "Atelier Joël Robuchon" em Banguecoque e um restaurante gastronómico em Bordéus, com o qual espera juntar mais três estrelas Michelin ao seu palmarés.
Tendo completado recentemente 70 anos de idade, no passado dia 7 de Abril, Joël Robuchon tem prevista para o período 2015/2017 a abertura de novos "Ateliers" em Xangai, Nova Iorque, Montreal, Bombaim, Genebra e Miami.