Número total de visualizações de página

terça-feira, 21 de julho de 2015

Pizza mais saborosa do País come-se em Viana 
do Castelo, a mais bela é de Arcos de Valdevez



O Porto foi hoje a capital da pizza. Vinte e seis dos melhores pizzaiolos portugueses confeccionaram ao vivo, e sob o olhar atento de um público interessado que encheu o Jardim dos Clérigos, as melhores pizzas que se podem degustar no País.
A concurso estavam duas categorias: a de Paladar e a de Beleza. Na primeira, a grande vencedora foi a pizza de Paulino Queiroz, do restaurante Dolce Viana, de Viana do Castelo; a segunda classificada foi a iguaria de Helder Gonçalves, do restaurante Ponto Pizza, de Santo Tirso, enquanto o terceiro lugar foi atribuído à pizza de Flávio Francisco Correia, da Ao Forno, em Penafiel. Na categoria de Beleza, o júri atribuiu o primeiro lugar à pizza de Fernando Almeida, da Romanza, em Arcos de Valdevez; o segundo classificado foi Sarino Mazza, do restaurante Il Siciliano, em Cascais, enquanto o terceiro lugar ficou com Samuel Cirulli, do restaurante Gusto Divino da Figueira da Foz.  
Agora, o primeiro classificado de cada categoria vai ao Mundial de Pizza, os segundos ao Mundial de Pizzaiolos e os terceiros de cada categoria aos campeonatos europeus.
Antonio Mezzero, «Embaixador da Pizza Napolitana em Portugal» e organizador do II Campeonato Português de Pizza, era naturalmente um homem feliz com o sucesso da iniciativa, enfatizando que “o objectivo deste campeonato, mais do que premiar este ou aquele, é promover a pizza e os pizzaiolos de Portugal e isso foi largamente conseguido”. 
Num ambiente de grande festa, quem assistiu ao evento pôde provar algumas das pizzas preparadas para o público e ainda apreciar os shows de pizza acrobática  dos campeões do mundo da especialidade, Paulino Bucca e Leone Copolla, que lançavam bem alto a massa em movimento e desenvolviam vários números de dificuldade elevada, deliciando a assistência e os participantes.
No ano passado, os vencedores das duas categorias a concurso conseguiram depois classificar-se entre os 100 melhores nos concursos internacionais, os quais registaram mais de 800 participantes cada. Por outro lado, a participação no evento português é obrigatória para ter acesso ao Campeonato Mundial da Pizza, que se realiza anualmente em Parma, e ao Campeonato Mundial de Pizzaiolo, que decorre todos os anos em Nápoles.
A integração da iniciativa nos calendários internacionais é motivo de satisfação para Antonio Mezzero, que se radicou em Portugal há sete anos e tem vindo a promover diversas iniciativas que aliam um carácter festivo à divulgação da pizza. Dono da prestigiada pizzeria Pulcinella, em Matosinhos, e de uma marca própria com os ingredientes de qualidade superior e produtos D.O.P. adequados à verdadeira pizza, a sua primeira grande acção pública nesse âmbito ocorreu em 2013. Produziu então uma mega-pizza de cinco metros de diâmetro para assinalar os 250 anos da Torre dos Clérigos. Seguiu-se o I Campeonato Português de Pizza, no ano passado, e agora a segunda edição também ela coroada de êxito.
O Campeonato Português de Pizza tem também uma vertente solidária, com parte das receitas provenientes das inscrições a reverterem a favor do Instituto Profissional do Terço, uma IPSS dedicada a crianças e jovens em risco.

Quinta da Pacheca reforça oferta enoturística
com a inauguração do Pacheca WineBar



Pacheca WineBar é o nome da nova estrutura criada para melhor receber os visitantes da Quinta da Pacheca, em Cambres, Lamego, e que está aberta ao público a partir de 15 de Julho.

«Queríamos proporcionar ainda melhores experiências a quem nos visita e decidimos construir de raiz este novo bar, onde podem ser degustados os vinhos Pacheca, mas também outras bebidas espirituosas, além de sumos e água, e ainda algumas das especialidades criadas pelo nosso chef residente, Carlos Pires, em harmonia com os vinhos da quinta», explica o director-geral da empresa, Álvaro Lopes. 

Concebido pelo Arquitecto Henrique Pinto, o novo Pacheca WineBar enquadra-se na arquitectura da propriedade e, num espaço de 30 metros quadrados, oferece um ambiente agradável e sugestivo que serve de apoio à wine shop já existente, bem como a qualquer visitante da quinta que pretenda relaxar e, ao mesmo tempo, experimentar novas sensações gastronómicas e vínicas.

O Pacheca WineBar está aberto todo o ano, entre as 10h30 e as 19h00, e constitui um reforço dos serviços já disponibilizados pela Quinta da Pacheca, onde a omnipresença do vinho se conjuga com a vertente gastronómica e turística, os quais têm vindo a merecer grandes elogios e importantes distinções a nível internacional. É o caso da unidade enoturística que constitui o ex-libris da propriedade, o The Wine House Hotel, que recebeu neste ano os prémios «The Best of Wine Tourism» na categoria de alojamento e de «Melhor Enoturismo do Ano» pelo guia ‘Boa Cama, Boa Mesa’. 

Visitas guiadas às vinhas e adega, provas e cursos de vinhos, wine shop, passeios, eventos, workshops de cozinha e turismo à la carte, incluindo passeios de barco, de comboio, de helicóptero ou pedestres, são algumas das actividades disponibilizadas nos 54 hectares da Quinta da Pacheca e nos arredores, de modo a permitir tirar o melhor partido das deslumbrantes paisagens do Douro.