Número total de visualizações de página

quinta-feira, 19 de novembro de 2015

Collove seleccionada pela Comissão Europeia
para integrar projecto Worth de design



A Collove foi a única marca portuguesa da área têxtil seleccionada para integrar o projecto Worth, concebido e desenvolvido pela Comissão Europeia para promover a interligação entre 78 pequenas e médias empresas e criadores dos vários países, num ambiente competitivo de conhecimento e de indústria. A Collove apresentou, em parceria com a designer britânica Nichole de Carle, a colecção Underactive, uma linha de moda shapewear (roupa criada para desenhar formas) a partir do conceito capsule collection (quando utilizadas entre si, as várias peças combinam).

O projecto Worth envolve mais de uma dezena de países europeus e de outros tantos criadores, no sentido de proporcionar oportunidades para o desenvolvimento de novos produtos, incentivar os designers a adoptar novas técnicas de criação e incentivar parcerias entre fabricantes e criadores.

A colecção Underactive resulta, assim, da fusão entre o traço criativo de Nichole de Carle, que “veste” celebridades como Jennifer Lopez ou Beyonce, e o elevado know how e experiência da Collove na produção de roupa interior de alta qualidade, caracterizada pelo conceito seamless. Esta e todas as outras criações irão estar em exposição brevemente, em Paris, no «Institut Français de la Mode».

A Collove é uma marca produzida pela Custoitex, uma empresa familiar 100 por cento nacional com elevado know-how na produção de collants e de roupa interior sem costuras. Há cerca de três anos avançou para a internacionalização, marcando presença consistente nos mercados norte-americanos e europeu. A família dedica-se a esta actividade desde 1976 e tem como responsável Sandra Morais, que em 2008 assumiu a gerência desta empresa, actualmente com 68 trabalhadores. Além da Collove, a Custoitex fabrica as marcas Coll e D’Ella, dedicando também particular atenção à produção das chamadas marcas brancas.

Wine House Hotel da Quinta da Pacheca
é «Best of Wine Tourism» pelo segundo ano consecutivo





O The Wine House Hotel da Quinta da Pacheca voltou a vencer um prémio no mais prestigiado concurso internacional de enoturismo. A competição mundial “Best of Wine Tourism 2016”, promovida anualmente pela “Rede de Capitais de Grandes Vinhedos – Great Wine Capitals”, decidiu atribuir a esta unidade enoturística situada em Lamego o galardão na categoria de «Experiências Inovadoras em Enoturismo», depois de no ano passado ter vencido na categoria de «Alojamento».

“Trata-se de um prémio que nos enche de satisfação, por vermos reconhecida a qualidade da nossa oferta e a capacidade que temos de estar sempre a proporcionar experiências novas aos nossos hóspedes e visitantes”, considera a administração da empresa, acrescentando que “vencer nestas competições ajuda também a divulgar o turismo gastronómico e enológico de toda a região».

O The Wine House Hotel da Quinta da Pacheca está instalado numa casa típica do século XVIII, que foi toda restaurada com respeito pela arquitectura senhorial daqueles tempos. Possui 15 quartos, todos diferentes entre si, onde se respira a realidade do vinho e da vinha em cada passo. Para lá de poder usufruir de experiências gastronómicas no restaurante comandado pelo chef Carlos Pires, ou no wine bar, a Quinta da Pacheca proporciona também provas explicadas e cursos de vinhos, wine shop, passeios, eventos, workshops de cozinha e uma série de actividades paralelas nas redondezas, incluindo passeios de barco, de comboio, de helicóptero ou pedestres.

A Quinta da Pacheca é também um dos mais afamados e históricos produtores de vinho, tendo sido mesmo um dos primeiros a engarrafar com a sua própria marca. A propriedade, com cerca de 57 hectares, sofreu uma primeira grande remodelação em 1916, com a construção de novos lagares e armazéns, onde ainda hoje são vinificadas as referências da Pacheca. Em 2013 a empresa teve um grande impulso no seu desenvolvimento, quando os empresários Maria do Céu Gonçalves e Paulo Pereira decidiram apostar no reforço da qualidade dos vinhos e na dinamização do The Wine House Hotel, um dos seus ex-libris e uma das mais conhecidas unidades de ‘turismo de charme’ do Douro.

A “Rede de Capitais de Grandes Vinhedos – Great Wine Capitals” é formada por cidades/regiões de todo o mundo, que partilham um património cultural ligado à realidade vinícolas. Tem por objectivo a promoção dos intercâmbios turísticos, de educação e de negócios entre as internacionalmente conhecidas regiões vinícolas do Porto, Bilbao, Bordéus, Cidade do Cabo, Christchurch, Florença, Mainz, Mendoza, São Francisco e Valparaiso.