Número total de visualizações de página

quinta-feira, 28 de janeiro de 2016


Congresso Nacional de Bioética realiza-se dias 12 e 13 de Fevereiro, no Porto




“Cerca de 60 por cento das pessoas que morrem em Portugal carecem de algum tipo de cuidados paliativos e as crianças não são excepção, bem pelo contrário”, considera Rui Nunes, presidente da Associação Portuguesa de Bioética e professor na Faculdade de Medicina da Universidade do Porto.

Os «Cuidados Paliativos na Criança» serão um dos temas centrais deste 14º Congresso Nacional de Bioética, marcado para os dias 12 e 13 de Fevereiro, que conta na organização, para lá da Faculdade de Medicina do Porto, já com a Cátedra de Bioética da Unesco (Haifa).

Este será, então, o tema dominante, que vai contar com a participação de médicos, psicólogos, enfermeiros e paliativistas. Para Rui Nunes, “é imperioso que a nível da formação profissional, o ensino dos cuidados paliativos seja generalizado na medicina, na enfermagem e em todas as outras áreas da saúde”, mas defende também a necessidade de que ao nível das políticas de saúde seja “generalizado o acesso a cuidados paliativos em todos os hospitais públicos e também nos centros de saúde, através de equipas domiciliárias, de proximidade, com elevados índices de humanização e de profissionalismo”.

Pretende-se, assim, que o tema passe a ser central na agenda das políticas de saúde e que os próprios doentes e seus familiares passem a ter mais informação sobre os direitos que lhes assistem, sabendo-se que quando se deparam com uma situação de doença que necessita de cuidados paliativos a sua condição é de especial vulnerabilidade a todos os níveis e a sua capacidade reivindicativa está muito fragilizada.

Ao longo dos dois dias de trabalhos serão abordados outros temas de grande impacto na área da bioética, na medicina e sociedade em geral, muito ligados à doença terminal. As diretivas antecipadas de vontade – testamento vital e procurador de cuidados de saúde -, a recente legislação belga sobre eutanásia nas crianças, a problemática dos quadros exponenciais de demência, o estado vegetativo permanente ou a suspensão de meios desproporcionados de tratamento são outros temas que estarão em debate por um conjunto de quadros especializados nestas áreas.

Os trabalhos do congresso estão abertos ao público, mediante uma inscrição prévia que custa 20 euros e que pode ser feita no site da Associação Portuguesa de Bioética. Estudantes e membros da associação pagam 10 euros.

Casa das Pipas propõe programa 
romântico para o Dia dos Namorados!



Na água pode ver a sua face, mas é no vinho que vê o coração... E a proposta da Casa das Pipas para este dia de S. Valentim, a 14 de Fevereiro, vai gravitar à volta da realidade do vinho e das suas propriedades românticas, ou não estivéssemos na unidade hoteleira de um dos produtores vinícolas mais dinâmicos do Douro, a Quinta do Portal.

O menu romântico, a cargo do chef Milton Ferreira, é para degustar a dois e criativo como o amor deve ser. Uma troca de olhares com uma salada exótica com rolinho de queijo e pimentos prepara terreno para a descoberta da paixão, que se faz com um duo de cenoura e alho francês. O segredo do amor serve-se com um peito de pato com risotto de coentros e legumes glaceados que enlaçam num bolo de chocolate branco com gelado de chocolate negro e frutos. Vermelhos, claro…

Depois de uma noite de estadia na charmosa Casa das Pipas, o pequeno-almoço buffet antecede uma visita ao armazém de vinhos desenhado pelo arquitecto Siza Vieira, obra-maior de arquitectura que é um verdadeiro santuário do vinho. Um programa inesquecível, por um custo de 75 euros por pessoa. Caso pretenda prolongar os momentos românticos por mais uma noite e um dia, o preço é de 115 euros por pessoa. «In vino veritas» e no amor também.

A Casa das Pipas está situada em Sabrosa, entrada do Douro Património Mundial da Humanidade. É com esta realidade que uma casa recuperada feita de xisto e pensada para que o vinho seja uma presença constante, que a sociedade Quinta do Portal convida a uma visita em qualquer altura do ano.

Dispõe de todas as comodidades de uma unidade hoteleira moderna, onde se inclui piscina e um pequeno ginásio. A Quinta do Portal tem ainda uma outra unidade de enoturismo, mais pequena, a Casa do Lagar, mas igualmente charmosa e acolhedora. A Casa das Pipas, possui «Chave Verde» devido às boas práticas ambientais, já conquistou o prestigiado prémio «Best of Wine Tourism» e o complexo enoturístico da Quinta do Portal foi considerado pela revista Forbes como um dos melhores dez destinos vinhateiros do mundo. 

Contactos: 259 937 000 | reservas@quintadoportal.pt