Número total de visualizações de página

quarta-feira, 9 de novembro de 2016

Sucesso do primeiro Agri Milk Show dita regresso em 2017 com conceito ainda mais alargado

Cerca de 7500 pessoas passaram pelo recinto da Exponor para testemunhar a modernização e desenvolvimento do sector leiteiro, apostado em vencer os desafios concorrenciais com que se depara. Genética, ordenha robotizada, alternativas alimentares para o gado, máquinas agrícolas, novos negócios e o Concurso Nacional da Raça Hosltein-Frísia foram alguns dos temas em destaque no I Agri Milk Show, uma feira que apostou tanto em potenciar o negócio como em sensibilizar o público para a importância do leite e derivados na alimentação.


Carlos Diogo Salgueiro, presidente da Associação Portuguesa de Criadores de Raça Frísia, APCRF,  co-organizadora do evento, congratulou-se com o sucesso da feira “que vai ajudar a puxar para cima um sector que tem tido as suas dificuldades, mas que tem muita vontade de as ultrapassar”. São iniciativas deste género “que puxam pela auto-estima dos produtores, porque conseguimos dar uma imagem de modernidade e pujança numa área com um peso considerável na economia portuguesa”.

Jorge Miguel Corais, líder do projecto e co-organizador, mostrou-se “muito satisfeito” com os resultados alcançados, considerando que foi possível provar que “uma feira agrícola, em Portugal, pode ser uma feira profissional e técnica, exclusivamente orientada para o negócio, sem a componente festiva e de espetáculos. Um evento virado para a facilitação do negócio e para a troca de ideias, em fóruns especializados”. Apesar do momento do sector, com todos os constrangimentos conhecidos, os expositores “viram neste Agri Milk Show uma feira pela positiva, que exalta o know-how português nesta área e que os deixa orgulhosos enquanto players do sector”.

A feira esteve quatro dias na Exponor, o que também representou um salto em termos de ambição, ocupando o grande Centro de Exposições do Norte do País. “O Agri Milk Show tem como referência no sector a FIMA, de Saragoça, e tendo em conta o sucesso da primeira edição é nossa convicção que poderemos, a médio prazo, ser uma referência na região do Noroeste Peninsular”, afirma Jorge Miguel Corais.

A I edição permitiu, também, perceber que os vários expositores acreditam no potencial de desenvolvimento do conceito que, em 2017, pode vir a ser alargado a mais subsectores dos lacticínios, como cabras, ovelhas e uma presença mais marcante dos industriais de lacticinios, chamando mais empresas que a montante e a jusante trabalham no agro-negócio. “É uma ideia que vamos maturar, mas o feedback que recebemos dos expositores presentes aponta nessa direcção”, sublinha o mentor do Agrimilk Show.

No último dia do Agri Milk Show apurou-se o vencedor do 36º Concurso Nacional da Raça Holstein Frísia, com a vitória a recair num exemplar da Sociedade Agro-Pecuária Vilas-Boas e Pereira Lda, de Ponte de Lima. Manuel Pereira, responsável da sociedade, já tinha visto as suas vacas premiadas em outros concursos, mas faltava-lhe vencer este que é um dos mais conceituados. “É o resultado de um trabalho que só tem oito anos, mas que tem vindo a ser reconhecido por todos que trabalham nesta área”, disse com alguma emoção à mistura.