Número total de visualizações de página

quarta-feira, 30 de maio de 2018

Primeiro ‘Reserva Branco’ do Portal conquista ouro em ano de estreia

Vinhos da Quinta do Portal no mais alto lugar
do pódio do International Wine Challenge


O primeiro Reserva Branco da «Quinta do Portal» foi brindado com uma medalha de ouro no International Wine Challenge. Em ano de estreia, este vinho do produtor do Douro, da colheita de 2015, conquistou o exigente júri pela sua “frescura e mineralidade”.
No mesmo concurso, com inúmeras provas cegas que conferem às avaliações uma grande credibilidade, também o «Quinta do Portal Moscatel Reserva 1996» ficou banhado a ouro pelos jurados, validando todo o trabalho que a equipa de enologia da «Quinta do Portal» vem desenvolvendo na produção de licorosos do Douro.
O «Quinta do Portal Reserva Branco 2015» resulta de um blend de diversas castas brancas durienses (em que se destacam a viosinho, gouveio, malvasia fina) plantadas no Vale do Rio Pinhão, a altitudes superiores a 500 metros. A fermentação iniciou-se em cuba de inox, tendo sido finalizada em cascos de carvalho usados, onde o vinho estagiou depois por 20 meses. De consumo polivalente, é um branco que não se agarra às harmonizações típicas de peixes e mariscos, podendo acompanhar o que costuma estar reservado aos tintos.
O «Quinta do Portal Moscatel Reserva 1996», (100% por cento moscatel galego) envelhece em cascos velhos de carvalho, bem ao estilo dos tawnies velhos. De cor aloirada, este vinho apresenta aromas de pêra e maçã verdes, e um caramelizado sem nunca deixar a elegância. Ideal para sobremesas.
Também o «Quinta do Portal Reserva Tinto 2015» foi medalhado neste concurso, arrecadando uma medalha de bronze. É outra das novas referências lançadas este ano pela empresa e que também promete ter um excelente comportamento, à semelhança do que aconteceu com os seus congéneres de anos anteriores.

Sobre a Quinta do Portal
Quinta do Portal é uma empresa que se dedica desde 1990 à produção de vinhos generosos e de mesa de elevada qualidade. Situada em Sabrosa, porta de entrada para a majestosa paisagem do Alto Douro Vinhateiro, Património Mundial da Humanidade, a Quinta do Portal desenvolveu uma política de internacionalização com participação regular nos maiores certames da especialidade, onde a qualidade dos seus vinhos e adega têm sido premiadas.

terça-feira, 29 de maio de 2018

Global Wines arrasa no «Dão Primores»

- Concurso «Vinhos de Portugal» também atribuiu ao «Casa de Santar Reserva Tinto 2013» Grande Ouro e Ouro ao «Cabriz Touriga Nacional Branco 2017»


Global Wines arrecadou o maior número de medalhas de ouro no concurso «Dão Primores», uma organização da Comissão Vitivinícola Regional do Dão (CVR do Dão), tendo ainda vencido o prémio “Grande Vinho do Dão”.
Assim, o “Grande Vinho do Dão” da colheita de 2017 é um Paço dos Cunhas tinto, vinho pelo qual, segundo o enólogo Osvaldo Amado “a empresa tem um carinho muito especial, uma vez que nele está bem patente o terroir e o carácter do Dão”. Intenso, elegante e harmonioso, com imenso potencial, segundo as notas do diretor de enologia da Global Wines, só deverá chegar ao mercado a partir do ano 2021.
Numa cerimónia realizada no Solar do Vinho do Dão, em Viseu, em que participaram 51 produtores regionais, coube à Global Wines ficar com 14 medalhas de ouro, seis para vinhos brancos e oito para vinhos tintos.

Ouro no Concurso «Vinhos de Portugal»
Mais de 1300 vinhos estiveram em prova no Concurso «Vinhos de Portugal», que distinguiu 16 dessas referências com o valioso prémio ‘Grande Ouro’. Uma dessas medalhas recaiu no «Casa de Santar Reserva tinto 2013», mas também o irreverente «Cabriz Touriga Nacional branco 2017» ganhou uma medalha de ‘Ouro’, atestando a consistência de qualidade dos vinhos com a chancela Global Wines. Neste Concurso, a Global Wines viu ainda outros dos seus vinhos arrecadarem seis medalhas de prata.
Estes galardões levam a que estes dois vinhos reservem lugar em alguns dos maiores certames internacionais da especialidade no decorrer deste ano, designadamente a «ProWine Shanghai», o «Romantic Encounter» do Japão, o «Campus Hamburgo» e as Provas de Varsóvia, Luanda, Zurique, Nova Iorque e Oslo.
Resta referir que o concurso «Vinhos de Portugal» é uma das grandes apostas do Plano de Promoção que a ViniPortugal desenvolve ao longo do ano. Levar os produtores nacionais a apostarem na melhoria contínua da qualidade e continuar a elevar a notoriedade dos vinhos portugueses junto de influenciadores e decisores estrangeiros que se deslocam até ao nosso país são os objetivos principais desta iniciativa.

Sobre a Global Wines
Criada em 1990 como Dão Sul, a Global Wines é hoje líder incontestada na região do Dão, detendo actualmente diversas marcas e quintas que, para além do Dão, lhe permitem actuar noutras das principais regiões vinícolas portuguesas, nomeadamente Douro, Bairrada, Estremadura e Alentejo, bem como no Vale de S. Francisco, no Brasil. Os diversos vinhos com a chancela Global Wines têm somado consecutivamente prémios nacionais internacionais e conquistando por isso o reconhecimento e a preferência dos consumidores, posicionando-se como como vinhos incontornáveis no panorama mundial.

Rui Nunes, presidente da Associação Portuguesa de Bioética

Eutanásia: antes de legislar, vamos debater e referendar!


1-  A Associação Portuguesa de Bioética, à semelhança do que fez na altura em que o tema da eutanásia entrou na agenda política, reafirma que esta matéria deveria ter sido alvo de um amplo debate na sociedade portuguesa e não circunscrever-se ao Parlamento.
2-  Legislar sobre esta matéria apressadamente, pode ser um caminho sem retorno, quando boa parte dos portugueses continua sem saber o que é a eutanásia, a morte assistida, o testamento vital, distanásia, ou ortotanásia. Por isso, esta associação volta a apelar para que se realize um referendo, preferencialmente depois de eleições legislativas, onde todos os partidos possam dizer aos eleitores o que pensam sobre este tema, coisa que não aconteceu no último sufrágio.
3-  Seria muito mais oportuno legislar sobre esta matéria depois da legitimidade conferida por um referendo e depois do País estar dotado de uma boa rede de cuidados paliativos.
4-  A montante, existem muitas matérias sobre as quais o debate foi praticamente nulo. Nomeadamente a questão ética, defendendo esta associação que para a legislação avançar será necessário alterar o Código Deontológico dos Médicos. Neste momento uma despenalização desta prática choca com os preceitos do código deontológico e do Juramento de Hipócrates, pelo que uma solução poderia passar por retirar do Código Deontológico da Ordem dos Médicos o artigo referente à proibição da eutanásia, tornando-o neutro, e remetendo qualquer decisão para o domínio da consciência individual do médico.